Imagem: Arquivo Pessoal/ Matheus Machado
Imagem: Arquivo Pessoal/ Matheus Machado
Imagem: Arquivo Pessoal/ Matheus Machado

Depois de três meses de espera, Gotham retornou com novos episódios, e digo que valeu muito a pena esperar. Com o título Wrath of the Villains, a proposta da segunda parte da temporada mudou, agora veremos a ira do vilões, e Mr. Freeze passou muito bem a nova intenção dos roteiristas.

O retorno começou com Jim Gordon sendo interrogado por Harvey Dent, na presença de Barnes. O depoimento do Gordon já nos dá uma base do que aconteceu durante a temporada, porque de acordo com os fatos que ele relatava imagens eram mostradas. Por causa disso, e a maneira como Jim se expressa, uma crise de confiança por parte de Barnes começa em relação ao detetive, nada de surpreendente nisso, ainda mais porque quando o Barnes apareceu em Gotham eu considerava ele um personagem muito interessante, mas confesso que com o passar dos episódios ele oscilou bastante e para mim não é mais um bom personagem como poderia ser. Não descarto o potencial dele na série, mas precisa melhorar.

É impressionante como os produtores e roteiristas de Gotham trabalham bem seus novos personagens. Muitas vezes quando um vilão aparecia ele acabava caindo em um momento mais factual, ou seja, era o vilão apenas do episódio. Em nenhum momento achei que o Mr. Freeze seria esse tipo de vilão, aliás, dos vilões do Batman este é um dos meus favoritos e que tem um enorme potencial para a adaptação em Gotham. A história do personagem foi muito bem contada e mostrada nesse episódio, não é atoa que ele nomeava o 12º capítulo da temporada. Na cena em que ele saí da delegacia, depois que ver o degelamento do corpo que congelou dar certo nós pudemos ver a ira que irá despertar nele. Eu faço apostas de que a sua esposa acabe por morrer dentro do GCPD, e esse será o ponto que trará a ira de Victor Fries. Dou parabéns para a forma que Fries foi trabalhado, mostrado e interpretado por Nathan Darrow (House of Cards).

Alguns aspectos ficaram a desejar, e Gotham pode trabalhar isso melhor. Não é novidade que a série tem uma grande quantidade de personagens, e mesmo que James Gordon seja o protagonista ele não retem 100% das atenções, dividindo o protagonismo com outros personagens. Em Mr. Freeze, senti muito a falta de ver o jovem Bruce Wayne,  já Selina teve uma breve aparição. Assim como foi com Butch e Thabita, que se uniram para comandar o crime em Gotham City, foi interessante relatar a queda do Pinguim e a ascenção de Butch como o novo Rei de Gotham, mas acabou ficando fora de contexto em relação ao que o episódio realmente quis trazer para a tv.

Falando em Pinguim, vimos a decadência dele neste episódio, mais uma vez ele vai ter que surpreender a todos para se livrar dessa situação, mesmo tendo cumprido a sua missão de matar Galavan, que teve um belo final – se é que aquilo foi o final dele. Dentro disso temos a relação de Pinguim com o Ed, que mostra uma cumplicidade e química impressionante entre os dois. Essa relação vai continuar sendo trabalhada por esse momento, e com certeza em uma temporada futura a parceria dos dois entrará em ação.

Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Ainda sobre o Pinguim, como vimos ele foi parar no Asilo Akham, onde fomos apresentados ao Hugo Strange de Gotham City, o personagem é um vilão introduzido na edição 36# da Detective Comics em 1940. Strange se mostrou com um alto poder de convencimento, mas não é um poder de verdade, como ele trabalha muito com a hipinose fica mais fácil persuadir alguém a arrancar os próprio olhos, não acha? Pois então, além disso, Strange tem ligação com a empresa Indian Hill, que pertence as Empresas Wayne. Lá citaram a jovem Vagalume (Bridgit Pike) que provavelmente irá retornar como vilã em algum episódio, ou associada com alguém, já que é bem provável que Victor Fries vá a procura de Hugo Strange.

Gotham retornou, para nossa alegria, com um ótimo episódio, mostrando seu bom roteiro e boa produção, aliás, os efeitos no episódio foram muito bons, quando o Victor congelou as pessoas, mas aquele quando o descongelando foi meio bizarro. Preparem-se para a próxima segunda, ouvi dizer que uma frente fria está chegando por aí.

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 4º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.