[Review] Marvel’s Jessica Jones 1×05 – AKA The Sandwich Saved Me

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Existe uma vida antes de Kilgrave e uma após dele, isso todos nós imaginávamos e percebemos pelo menos a parte pós Kilgrave. O importante não é apenas saber que a passagem de alguém pode mudar a sua vida e ver apenas a mudança, o que vale mesmo é saber realmente o que aconteceu e o que mudou na vida da pessoa. The Sandwich Save Me, ou “O Sanduíche Me Salvou”, ressaltou muito bem esse contraponto na vida de Jessica Jones, uma heroína traumatizada que de certa forma não deixou de ser uma heroína.

Vendo o episódio pudemos perceber muito bem que mesmo que algo se repitam ela pode melhorar. Com isso afirmo que os erros podem ser acertos. Veja bem, alguns criticam Marvel’s Jessica Jones por ser literal de mais ou por ter pouca ação. O quinto episódio de JJ mostrou que essa parte “literal” é necessária e trouxe um pouco de ação, ainda não foi na dose que todos queremos ver, mas já é um belo começo. (Se você pensa que a HQ é cheia  de ação, não se engane, mesmo que haja a tal ação a história ainda é de uma ex-heroína que virou detetive.)

Depois das turbulências na vida de Jessica Jones todo mundo já está careca de saber que a heroína se tornou uma detetive particular criando a Alias Investigações. Partindo desse ponto todos temos que entender que uma investigação não é resolvida com um estalar de dedos, mas sim com o levantamento de informações, com objetivos e o principal: saber exatamente pelo que procura e como procurar. Para se investigar algo é extremamente essencial conhecer aquilo que procuras. Por lembrar de suas experiências passadas com Kilgrave, Jessica já tinha alguns paços certos em sua busca incansável pelo vilão, por conhecer ele e seus métodos. A partir disso era apenas esperar uma pequena brecha para seguir os paços dele e enfim encontrá-lo. Mas quem diria que essa “brecha” bateria na porta da Alias Investigação? Fácil né?! Só que não. Kilgrave não foi fácil de ser encontrado, apesar de achar ele em apenas 4 episódios, não foi nada fácil. Ainda mais por descobrir o quão perto ele estava e saber que ele usou pessoas ao seu redor para seguir-la e para machucar pessoas que ama. Isso torna tudo um pouco contraditório. Digo isso porque ele esteve sempre ali, bem pertinho.

Era tão óbvio, mas tão óbvio que o plano iria dar errado, não por ser no início da temporada, mas por ser fácil de mais seguir a rotina dele e não pensar que ele sempre está um paço a frente. Sinceramente, alguém aí achava que Kilgrave iria botar a cara na rua completamente desprotegido? Ingenuidade de quem pensou nisso. Seria um pouco impossível de acontecer, mas por um detalhe era possível e bem provável. Ele baixou a guarda sem diminuir as defesas, mas dessa vez a força de Jessica Jones não superou a quantidade dos inimigos, mas serviu para mostrar que ela tem com quem contar. Mesmo que uma parte disso não tenha tido muita serventia na hora em que mais se precisava.

O contraponto que me referia no início do texto é  o seguinte: saber o que aconteceu com Jessica Jones é muito fácil e todos nós sabíamos, mas conhecer, ver e entender era algo complicado. Nesse episódio essa complicação começou a ser destrinchada e começamos a conhecer um pouco de como era a vida dela. Claramente vimos um desperdício de habilidade por parte de JJ, onde o seu potencial era muito superior comparado com aquilo que estava fazendo. Foi aí que o sanduíche achou o seu caminho e ao salvar uma criança de ser atropelada, Jessica conseguiu achar o seu propósito.

Nesses flashbacks conhecer uma Jessica que nunca tínhamos visto antes, e que talvez não pudéssemos imaginar que havia existido, foi muito importante devido a mulher ter se tornando tão rabugenta e de mal com a vida. O que mais gostei desses flashbacks foi a hora em que a Trish fez o uniforme para Jessica. Acredito que dentro desses cinco episódios iniciais essa foi a referência mais gritante a HQ original em que a série se baseia. O uniforme era praticamente igual. Foi um ponto muito positivo na plot o episódio.

Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Uma vez heroína, sempre uma heroína… Malcolm fez o que fez e com certeza merecia desprezo e alguns socos bem fortes na cara, mas ao derrubar ele, Jessica cairia junto. JJ é uma personagem muito inteligente, capaz de fazer os contras virarem trunfos ou coringas ao seu favor, e a decisão de dar duas escolhas para o vizinho viciado foram sábias da parte dela, mesmo se sujeitando a mandar algumas selfies para o Kilgrave (garanto que muitas pessoas gostariam de acordar todos os dias e depois receber uma selfie da Kristen Ritter, me incluo nessa lista).

Falando no xarope, ele também foi um pouco explorado nesse episódio. Não podemos dizer que o conhecemos porque apenas tivemos algumas amostras do seu poder e da cara de pau que ele tem. O que Kilgrave faz para conseguir o que quer é realmente inSano. Mas o bom é que agora vamos tê-lo um pouco mais próximo e provavelmente os flashbacks irão continuar e saberemos ainda mais do passado envolvendo a relação dos dois.

Jessica Jones pode ter um tom mais calmo em relação à ação, mas se mostra muito envolvente no desenvolvimento de suas tramas, o que traz um equilíbrio e uma grande identidade investigativa para a série. Alguns pontos ainda podem melhorar, mas acho que já que estamos perto do meio a história em si vai ganhar rumos melhores e tende a crescer ainda mais.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV, estudante de Jornalismo, leitor, cinéfilo e seriador. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek e Star Wars. Na TV The Walking Dead, Game of Thrones, Shameless, Jessica Jones são alguns dos seus favoritos.

Você também pode gostar