[Review] The Last Ship – 3×03 – Shanzai

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Arquivo Pessoal/Rubens Oliveira
Imagem: Arquivo Pessoal/Rubens Oliveira

“Sou Michael Slattery. Capitão da Marinha dos Estados Unidos. Número de série 171811120. Eu e cinco membros da equipe somos prisioneiros de guerra.”

O episódio desta semana de The Last Ship trouxe várias revelações e incertezas com relação as certezas que eu tinha nos episódios anteriores. Parece confuso, mas siga em frente e descubra, que um episódio considerado por muitos como “lento” terá no futuro da série um grande impacto.

O episódio já começa confirmando o que muitos esperavam: Tom assumiu novamente o comando do Nathan James. O Mais interessante é que ele já chega dizendo para o então chefe interino do navio, Burk, que prefere que a Tenente Granderson seja a “Imediato” dele, ou seja, quem comandará lado a lado com ele o navio. Eu achei uma decisão bem ousada, e também que impõe respeito. O Burk, claro que não gostou. Mas acho que isso no futuro poderá fortalecer a relação dos dois. Mas não foi só com o Burk que o Tom teve embates neste episódio. Ele também bateu de frente com a Sasha, durante a confecção de um plano de reconhecimento e possível resgate da tripulação sequestrada. Eles acham que a tripulação está na ilha de Shanzai. E eles não estão errados.

A equipe sequestrada do Nathan James parece que chegou ao seu cativeiro definitivo, uma ilha chamada Shanzai, que fica no território chinês. Para nossa surpresa – principalmente para a minha – parece que o Peng pode não estar tão envolvido ao ataque contra o Nathan James, pois esse episódio nos traz mais um vilão, o Takehaya (Hiroyuki Sanada), um pirata muito famoso pelos seus saques e roubos no continente asiático. No decorrer do episódio vemos que os tripulantes sequestrados tentam fugir, mas falham, e que o Takehaya é que está por trás das transfusões de sangue. Ele pega o sangue dos tripulantes e injeta nele e em seus capangas. O motivo eu não sei afirmar com certeza, mas deve ser algo relacionado a cura. Mas podemos ficar tranquilos, pois mesmo tendo nossos queridos tripulantes do Nathan James sequestrados, eles não vão ser mortos, pois eles precisam do sangue deles e eu creio que teremos uma fuga com sucesso em breve.

Imagem: Arquivo Pessoal/Rubens Oliveira
Imagem: Arquivo Pessoal/Rubens Oliveira

Uma coisa que eu notei foi que nesse episódio eles esqueceram o Mason, que no final do episódio passado, estava tendo seu sangue drenado. Creio que ele morreu né, mas não falarem sobre o colega ou sentirem sua morte foi muito estranho. Ouso chamar de um erro de roteiro. Enfim, sigamos em frente, é mais um que morreu. Também não posso deixar de notar que não se fala mais em Rachel na série. Acho que estão nos fazendo esquecer ela por dois motivos: Ou ela morreu e querem que nós sigamos em frente, ou querem que nós simplesmente esqueçamos para depois ela surgir em um episódio bombástico e chocar a todos nós. Espero que seja a última opção.

Enquanto isso no continente, o atual Presidente dos Estados Unidos, Jeff Michener, está sofrendo com a pressão da mídia e da população. Boatos estão se espalhando de que o Tom foi para a China para evitar uma possível guerra. Sabemos que isso está mais do que se tornando realidade. Outra fato que merece destaque no episódio foram as cenas de ação e de luta mano a mano, que para mim, foram muito legais e bem executadas. Parecia muito real e seria a cena de luta que Wolfman teve com um agente do exército chinês, que encurralou a equipe de resgate de Tom e deu um baita trabalho para saírem desta enrascada. Masó aconteceu porque a Jesse apareceu em seu helicóptero e fuzilou os agentes do exército chinês. Creio que já podemos confiar um pouco mais na Jesse. Essa atitude dela de permanecer para ajudar a resgatar os tripulantes do Nathan James foi muito honrada da parte dela. Apesar de todos os apuros, Tom pelo menos conseguiu descobrir sobre o Takehaya.

No final do episódio temos a transmissão em rede nacional dos EUA a declaração do CO sequestrado do Nathan James, Mike Sllatery, pela equipe do Takehaya onde Mike diz as seguintes palavras: “Sou Michael Slattery. Capitão da Marinha dos Estados Unidos. Número de série 171811120. Eu e cinco membros da equipe somos prisioneiros de guerra.” Isso não chega a ser uma surpresa para nós, pois esta cena estava no trailer desta temporada, mas foi sim uma grande surpresa para o governo americano, que mais cedo tinha desmentido as alegações da imprensa onde diziam que uma possível guerra estava chegando. As consequências daqui pra frente ,desta revelação para o público, serão extremamente ruins ao governo dos EUA e o mundo. Creio que Peng acabará se beneficiando com isso, mas também tenho fé que estamos rumo a episódios bombásticos e cheios de reviravoltas políticas.

TLS¹: Gostei de como eles mostraram táticas usadas pelos marinheiros em situações de risco. Como vimos nas cenas da tripulação sequestrada, em Shanzai.

TLS²: O destaque dado para personagens não tão importantes na trama foi legal, porém pode ter sido a causa de o episódio ter parecido um pouco “parado”.

TLS³: Abaixa que é tiro! De acordo com o vídeo promocional do próximo episódio as coisas vão pegar fogo!

Nota do autor para o episódio:
Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
, ,

Comentários

Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.

Você Também Pode Curtir