Crítica | A Incrível Jornada de Jaqueline

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Adoro Cinema
Imagem: Adoro Cinema

Uma das mais gratas surpresas que tive, foi ir na cabine de imprensa e ver um filme maravilhoso e super simples. Não tem nada de mais, e essa falta de compromisso junto com a dedicação das pessoas envolvidas fazem de A Incrível Jornada de Jacqueline um longa tão bom, leve, engraçado e divertido.

Jacqueline, nada mais é do que a vaca de estimação de um fazendeiro argelino, Fatah, que está prestes a realizar o seu grande sonho: Levar Jacqueline a Feira da Agricultura em Paris. Obviamente o filme mostra como foi a dura jornada de Fatah e Jacqueline, até que os dois possam chegar em Paris e comparecer com o evento.

O filme é muito bonito, você vê que a história, em nenhum momento, se compromete em entregar um roteiro maravilhoso, em ser um exemplo e tudo mais de “inteligente” que muitos filmes tentam fazer e não conseguem. Para você ter noção, os acontecimentos são super previsíveis, mas A Incrível Jornada de Jacqueline tem uma previsibilidade que você espera com gosto para vê-la. Quando a história começa você pode adivinhar tudo que irá acontecer, mas o filme é tão bom que faz você querer ver isso mesmo assim.

Ele é um filme bem indie, que não precisou de tanto dinheiro para ser feito. É uma história simples que você não precisa de tantos recursos para fazer. Daí vem a tal dedicação. Mesmo não se comprometendo em impressionar, o filme se dedica a encantar o público, seja com momentos engraçados, com momentos tristes ou até mesmo passando uma bela mensagem. É realmente incrível o que essa simples história consegue fazer.

Imagem: Adoro Cinema
Imagem: Adoro Cinema

A empatia que você sente ao longo do desenvolvimento da jornada de Fatah e Jacqueline é ótima, pois em vários momentos eu me vi naquelas situações, pensei em como seria se fosse eu ali, tanto nos momentos divertidos como naqueles de dificuldade. A humildade do personagem e sua ingenuidade são apaixonantes, juntos da bela irreverência natural de sua personalidade. É um homem que passou por muitas dificuldades na vida, mas que nunca perdeu o sorriso no rosto, nunca desistiu de ser feliz, de realizar os seus sonhos. Ele pode não ter tanto dinheiro, pode morar em uma casa simples onde o chão é areão, mas é o tipo de pessoa simples que marca a sua vida, que deixa uma mensagem de reflexão muito intensa na sua mente.

A Incrível Jornada de Jacqueline tem uma energia muito contagiante, é o tipo de filme que te deixa bem depois de assistir, aqueles que você não dá nada, mas depois fica louco para contar aos amigos e a família. Como disse o colega do site Cine Eterno, Márcio Picoli, “É um filme de Sessão da Tarde“, e aí eu pergunto: quando que víamos filmes ruins na era de ouro da Sessão da Tarde? – Na verdade existiam vários, mas nunca deixou de existir Mudança da Hábito, Ghost, e outros vários ótimos filmes.

Imagem: Adoro Cinema
Imagem: Adoro Cinema

Talvez eu esteja até me precipitando um pouco, mas minha empolgação com este filme faz com que eu arrisque, e acredito que possa até pintar no Oscar, como Melhor Filme Estrangeiro. Afirmo isso porque tenho que refletir, como um filme tão simples, e básico em vários sentidos, consegue impressionar tanto?! É realmente um presente ter assistido A Incrível Jornada de Jacqueline, que tem tudo que é preciso para fazer qualquer um gostar de sua história, e ele deixa um mensagem de reflexão, mas muito positiva, um exemplo que todos deveríamos seguir sempre. Nunca desista dos seus sonhos, por mais difíceis que sejam de ser realizados, dificuldade é algo que com esforço nós podemos superar. Não existe o impossível, essa palavra é um obstáculo imposto naturalmente pela sua mente, devido ao medo de sair do “seu quadrado“, sua zona de conforto, onde muitos se acomodam.

A verdade é, não importa se você tem que ir a pé de Marselha até Paris, com empenho, alegria, objetivo e boa vontade, essa trajetória será percorrida facilmente, superando as dificuldades do caminho, as da vida e todos os outros imprevistos que estão no seu caminho. Resta dar os parabéns a Fatsah Bouyahmed (Fatah), pela atuação maravilhosa durante todo o filme e ao diretor Mohamed Hamidi pelo trabalho em A Incrível Jornada de Jacqueline. E lógico, a toda a equipe envolvida no projeto.

OBS: Vale lembrar que explorar a relação “homem e animal” no cinema já deixou de ser novidade há muito tempo, o primeiro filme que lembro ter visto com essa relação foi K9 Um Policial Bom Pra Cachorro (1989), então já é um conceito bem batido no cinema. Mas que não prejudica em nada o longa. Outro ponto que merece destaque são algumas críticas, leves e satíricas, que o filme faz ao preconceito com os muçulmanos, tanto das pessoas de fora dessa cultura, como as que estão inseridas nela, pelo medo da reprovação e da diferença. E até mesmo, a aceitação própria de cada um, do seu descobrimento pessoal, para falar a verdade.

Nota do autor para o filme:

 

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek, Star Wars, Marvel, DC Comics. Na TV The Walking Dead, Shameless, Jessica Jones, The Handmaid’s Tale, entre outras, são algumas das suas favoritas.