Crítica l Agents of S.H.I.E.L.D. – 4×02 – Meet the New Boss

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira

Nesta terça (27) foi ao ar nos Estados Unidos o segundo episódio da nova temporada de Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. Focando na deterioração mental de May e na introdução do novo Diretor da S.H.I.E.L.D., a série perdeu um pouco o ritmo, mas continuou desenvolvendo a trama. Confira a baixo a crítica completa do episódio “Meet the New Boss”.

No episódio desta semana a trama ficou centrada em mostrar as consequências após May ser tocada pelo “fantasma” no episódio anterior. A nossa agente badass está em apuros, pois sua saúde mental está completamente comprometida. Este episódio também apresentou o novo diretor da S.H.I.E.L.D., Jeffrey Mace, interpretado por Jason O’Mara (Terra Nova, Complications). A trama ainda achou espaço para desenvolver o arco do Motorista Fantasma e o seu embate com Daisy, que terminou com algumas descobertas sobre a origem dos “fantasmas” e uma conversa tensa ente Daisy, Fitz e Mack.

Meet the New Boss diminuiu um pouco o ritmo se comparado ao episódio de estreia na semana passada. Isso já era esperado, pois agora que tivemos todas as reapresentações dos personagens principais e do Motorista Fantasma, é necessário que ocorra o desenvolvimento dos arcos de outros personagens, que como sempre, irão ter efeito nos episódios futuros. Um dos fatores que fez este episódio parecer mais “parado” foi o desenrolar por trás da deterioração mental de May e da exploração da origem dos fantasmas, que deixou muitas perguntas e nenhuma resposta no ar. Essa trama dos fantasmas ainda está só no começo, mas já vem se mostrando interessante, pois pelo que foi mostrado no final do episódio, com Robbie (ou Motorista Fantasma) falando para Daisy que tudo isso que está acontecendo pode estar conectado diretamente com ele, deixa aquela dúvida por trás da origem do personagem e como ele ganhou seus poderes. O próprio Robbie diz que ele não é um Inumano e ganhou seus poderes ao vender sua alma para o diabo. Estaria este “diabo” por trás de tudo que está acontecendo? O que de importante aconteceu naquele laboratório em Pasadena?

Eu gostei da forma que foram introduzindo o novo diretor. Primeiro tivemos uma visão dele que mostrava como ele era diferente do Coulson e tinha complicado tudo na S.H.I.E.L.D. com sua burocracia. Depois vimos o Diretor exercendo o papel de Diretor, dando ordens, agradando convidados; e no final vimos o verdadeiro, um Inumano – fiquei surpreso com essa revelação, não esperava por essa – que está tentando manter a organização em ordem para a sua reintrodução no mundo, já que agora a S.H.I.E.L.D. foi novamente reconhecida pelos governos, após o Tratado de Sokovia ser assinado. Por mais que esse Diretor possa estar tentando agradar a todos e fazer o bem para a S.H.I.E.L.D. eu não consegui desenvolver um sentimento de empatia por ele ainda. Acho que isso se dá principalmente ao fato de que os próprios personagens, como o Coulson, May e todos os outros do time não confiarem nele.

Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira

O entrosamento entre Daisy e Robbie foi o grande ponto forte deste episódio. O embate verbal entre os dois trouxe à tona algumas informações sobre o passado de Robbie e com certeza mostrou que a nossa Daisy ainda continua sendo a mesma hacker badass que vimos durante esses 3 anos da série. Essa cena da Daisy e do Robbie conversando foi muito tensa, pois a qualquer momento Robbie podia virar o Motorista Fantasma e matá-la, realizando o desejo de Daisy em pagar pelos seus pecados. Mas o final com os dois se unindo para descobrir o que está realmente acontecendo foi ótimo e irá nos proporcionar ótimas cenas de ação nos próximos episódios.

Estou ansioso para saber é o que vai acontecer com a May, pois a nossa agente preferida está com sérios problemas. Creio que com certeza irão submetê-la a testes ou irão deixar ela confinada em algum lugar secreto, deixando claro que o Coulson teme exatamente isto, já que agora não tem mais poderes supremos de Diretor. Será que ele está arrependido de ter se afastado do cargo? Afinal, agora ele não tem mais poder sobre ninguém e nem aceso ilimitado a informações.

Para finalmente finalizar esta crítica, o que foi aquela cena entre Daisy, Mack e Fitz discutindo? Com certeza isso foi difícil para a Daisy, e foi difícil para nós, pois a nossa equipe preferida brigando e jogando verdades um na cara do outro não é algo que queremos ver. Mas foi uma discussão necessária entre eles, para esclarecer as coisas, e sem falar que o Mack descobriu que a Ioiô estava ajudando a Daisy secretamente durante todo esse tempo que ele estava procurando-a incessantemente.

Mesmo com um ritmo um pouco lento o episódio desta semana foi legal, continuou desenvolvendo a trama sem enrolações. E vocês? O que acharam deste episódio? O que acham que irá acontecer com a May? Deixe o seu comentário!

Agent¹: Os efeitos especiais continuam bons.

Agent²: Amei as referências à Agent Carter, Capitão América e Guerra Civil.

Avaliação

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.

Você também pode gostar