Crítica l The Flash – 3×01 – Flashpoint

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira

The Flash retornou com sua nova temporada nesta terça nos Estados Unidos. O novo ano da série desde o final de sua segunda temporada já vinha abalando a internet, afinal como seria desenvolvido o famoso flashpoint? Com somente um episódio a série encerrou o evento temporal e decepcionou um pouco. Confiram a crítica completa do episódio a baixo.

Ao final da segunda temporada Barry mudou a linha do tempo ao salvar sua mãe, Nora Allen, das mãos do Flash Reverso. O novo ciclo da série se iniciou 3 meses após a mudança da linha temporal e tratou logo de apresentar este novo mundo criado pelo Velocista Escarlate. Barry tentando reconquistar a Iris, que não o conhece mais, assim como Iris não fala mais com o pai e só mantem uma relação familiar com o Wally, que agora é o Kid Flash. Caitlyn, Cisco e outros personagens foram sendo reapresentados durante o decorrer do episódio que terminou com Barry libertando o Flash Reverso e o deixando matar sua mãe para que tudo voltasse ao normal, pois os efeitos colaterais do tempo estavam começando a lhe atingir.

A ideia do Flashpoint como um evento que ia mudar tudo em The Flash foi um pouco que esquecida. Afinal o evento só durou um episódio e os próximos irão tratar das consequências do Flashpoint. Na verdade eles poderiam pelo menos ter efeito uma estreia com episódio duplo, assim daria mais tempo de explicar o evento, apresentar o novo mundo criado pela mudança temporal e as novas características dos personagens ficariam mais claras. Um bom exemplo disso é a Caitlyn, que só apareceu quase nos 10 minutos finais de Flashpoint e quase não teve falas. O relacionamento entre Iris e Joe também foi uma grande oportunidade desperdiçada, pois se tivessem desenvolvido só um pouco mais a história dos dois, o episódio teria sido menos corrido. Muitas informações simplesmente foram jogadas sem nenhuma explicação mais profunda, sem fazer transparecer os motivos das novas características dos personagens.

A relação entre a Iris e o Wally foi um ponto positivo no episódio. Os irmãos neste novo mundo tiveram seus laços familiares fortalecidos, mostrando a Iris como a confidente do Wally, que agora é o Kid Flash. A confiança dos irmãos conseguiu transparecer durante todas as cenas em que eles aparecem juntos, alias só a Iris sabia que Wally era o novo “Flash” da cidade, reforçando o laço familiar dos dois. Wally como Kid Flash também foi legal, ele se saiu muito bem na pele de super-herói e manteve suas características adolescentes, como a impulsividade.

Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira

Foi duro ver o Barry tendo que se despedir mais uma vez dos pais e permitir que o Flash Reverso matasse novamente sua mãe. Afinal esta nova vida era tudo o que o Barry queria. Nora estava viva, assim como seu pai, ele teve os dois presentes da infância até a faculdade. A cena dele reunido com a família para o café da manhã foi perfeita e representou muito bem tudo o que ele sempre quis ter.  Essa era a vida que ele sempre desejou? Sim. Porém, Barry teve que pagar o preço, afinal ele já deveria ter aprendido que não se deve mexer com o tempo. Desta vez o preço foi permitir que o assassino da sua mãe conseguisse matá-la mais uma vez e as consequências vistas no final do episódio.

O final foi pra lá de interessante, pois deixou aberto algumas questões que podem ser bem exploradas. A primeira delas é que o Flash Reverso ao retornar junto com Barry do novo mundo criado pelo Flashpoint, diz que tudo deve ter voltado ao normal, pelo menos para ele, ou seja, nem tudo estará como era antes para o Barry. Isso já fica evidente neste mesmo episódio, pois descobrimos que a relação de Iris e Joe não é nada legal, e o promo do próximo episódio só reforça isso, mostrando que os atos de Barry impactaram na vida de todos ao seu redor – mais uma vez.

A outra questão a ser resolvida é o fato do vilão velocista do Flashpoint, The Rival, interpretado pelo ator Todd Lasance (The Vampire Diaries, Spartacus) irá de alguma forma aterrorizar esta nova linha do tempo também, porém ele ainda não possui seus poderes, e pelo que entendi, serão dados pela voz misteriosa que ouvimos no final do episódio chamando-o e escrevendo no espelho a palavra “Alquimia”. Já é sabido que o Doutor Alquimia é um dos vilões desta temporada e com certeza ele está por trás desta voz misteriosa.

E vocês? O que acharam do Flashpoint? Também esperavam algo um pouco mais grandioso ou demorado? O que acham que mudou com a volta de Barry?

Avaliação

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.

Você também pode gostar