Primeiras Impressões | ‘Timeless’ é mais um clichê de viajem no tempo

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Divulgação/ NBC
Imagem: NBC

Estreou na última segunda-feira (03) nos Estados Unidos a mais nova série de viagem no tempo da NBC, Timeless. Seguindo uma ordem interminável de clichês a série consegue divertir o suficiente para prender o público à sua trama. Confiram a baixo as nossas primeiras impressões sobre a série.

Timeless conta a história da professora de história Lucy Preston (Abigail Spencer), do oficial Wyatt Logan (Matt Lanter) e do perito em máquinas de viagem no tempo Rufus Carlin (Malcolm Barrett). Todos os três são recrutados pelo governo para viajar no tempo, até o ano de 1937. Sua missão é tentar impedir que criminosos da nossa época interfiram na história e acabem mudando o presente.

A trama é totalmente comum, assim como os personagens e tudo na série. Porém, Timeless conseguiu encaixar um tom cômico cativante e resultando em uma sensação tipo “Nossa, não acredito que estou gostando disto!”. O grande problema da série não é nem os clichês, pois sabemos que um clichê bem feito é um clichê de qualidade, e sim a rapidez como tudo acontece no piloto. Em um minuto estamos conhecendo Lucy, uma professora de história que tem uma mãe doente e está passando por problemas acadêmicos. Depois de 3 minutos temos um bando de vilões que não apresentam a origem, chegando a um lugar que não se sabe o que é e viajando no tempo. Já pode-se ser uma noção de como tudo foi desenvolvido muito rápido, sem deixar espaços para o telespectador digerir tudo que está acontecendo.

Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira

A pressa em desenvolver a história é tanta que acaba por prejudicar a apresentação dos personagens, impossibilitando que você entenda algumas características deles. Um bom exemplo disso é a cena que vem após o trio ter viajado no tempo, eles se encontram em um bar e Wyatt desenvolve um sentimento por uma local – e você fica pensando “mas você já está amando a menina que você conheceu a 1 segundo atrás?”. São estes os principais problemas da série, que se tivesse tido um pouco mais de paciência teria desenvolvido um piloto bem mais agradável e de qualidade.

Algo que agrada bastante, além do ar cômico, é toda a história da época. Lucy, sendo uma boa professora, sabe muito bem utilizar seu conhecimento para se virar nas situações em que o trio se mete. Wyatt e Rufus também têm ,de certa forma, suas habilidades exploradas, porém de um modo meio precário e que não surpreende em nada.

A série consegue deixar ganchos a serem explorados e que já eram previsíveis. O fato de terem ido para passado já altera o presente, mesmo eles não fazendo nada e isso acaba impactando na vida dos personagens principais, como é mostrado no final do episódio – não é só o Barry Allen, de The Flash (The CW) que estraga linhas do tempo. A trama com certeza irá explorar essas consequências e os segredos por trás dos criminosos e do desenvolvedor da máquina de viajem no tempo, o brilhante Connor Mason (Paterson Joseph). O governo também esconde segredos e irá caber ao trio de viajantes desvendar todos esses mistérios conforme são solicitados para novas missões através do tempo.

Timeless passa todas as segundas nos Estados Unidos pelo canal NBC. E vocês, o que acharam da série? Será que vale a pena dar uma chance e ver se melhora?

Avaliação

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.

Você também pode gostar