Crítica l Supergirl – 2×02 – The Last Children of Krypton

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Supergirl continua mantendo o bom ritmo nesse começo de temporada nos presenteando com mais um excelente episódio. Confira agora a crítica de “The Last Children of Krypton“, marcado pela importância da união de um time e por tristes despedidas que irão afetar a vida de Kara.

O time formado pela Supergirl (Melissa Benoist) e o Superman (Tyler Hoechlin) continuou salvando várias vidas e mostrando a química existente entre os dois com uma boa pitada de humor. Era possível ver que eles se divertiam muito lutando lado a lado. Quem não estava nada satisfeito com tudo isso era Hank (David Harewood), que foi muito rude com o Superman desde o episódio passado, mas acabou passando dos limites quando não revelou sobre a kryptonita que estava desaparecida e foi parar no corpo de John Corben/Metallo (Frederick Schmidt). Essa cena da luta Metallo x Supergirl foi mais um grande ponto positivo da série na 2ª temporada. A imagem do Superman carregando a Supergirl ferida nos braços foi uma grande referência aos quadrinhos das Crises Infinitas e ficou muito bonita de se ver.

Winn (Jeremy Jordan) também foi um destaque, sem dúvidas ele é a pessoa que mais representa os fãs que assistem a série. Ele é o fanboy que todo mundo gostaria de estar no lugar, sempre soltando piadas do universo pop e muito entusiasmado por estar trabalhando para três heróis muito importantes para o mundo, com o destaque para a cena da discussão entre Superman e o Caçador de Marte, onde Winn diz que a briga entre os dois é incrível.

A interação entre Kara e Cat (Caslita Flockhart) foi bem mais forte e mais emotiva nesse episódio. Cat mais uma vez entrou com seus sermões de girlpower para mostrar à Kara que ela era uma mulher capaz de se defender sozinha e de se mostrar uma excelente profissional. Foi nessa cena também que Cat anuncia suas “férias” da empresa, confirmando mesmo que sua personagem deixaria de ser regular devido as gravações da série serem realizadas no Canadá, o que dificulta a vida da atriz Calista Flockhart. Essa cena em particular foi uma das mais emocionantes da série, onde foi possível sentir a tristeza da despedida entre as personagens/atrizes. A interação entre Cat e Kara sem dúvidas irá fazer muita falta e agora teremos que aguentar James Olsen (Mehcad Brooks) como presidente da CatCo.

Outra interação importante foi entre Kara e Alex (Chyler Leigh), desde o episódio passado deu para perceber uma certa tristeza em Alex por perceber que sua irmã estava muito ligada à Clark e que poderia abandona-lá, teoria confirmada quando num ato egoísta Kara revela que queria se mudar para Metropolis para viver com o primo, onde não pensou no fato de que sua irmã abriu mão de várias coisas para cuidar bem dela. Agora com Clark de volta para Metropolis e com a confirmação de que o pai das duas está vivo e em mãos da organização Cadmus, as duas irmãs precisam mais do que nunca se unirem.

A organização Cadmus mostrou para o que veio e nos apresentou um excelente Metallo com direito ao coração de kriptonyta e a criação de mais um desse tipo de androide. Sem dúvidas teremos mais mutações por vir nos próximos episódios, arrisco a dizer que o pai de Alex será um dos futuros vilões que tentará matar a Supergirl, já que a médica (Brenda Strong) deixou à entender que ele não era mais a mesma pessoa, possivelmente também foi transformado em alguma mutação.

Um novo emprego, Cat fora da empresa, seu primo de volta à Metropolis e com o kryptoniano acordando do coma, os próximos episódios irão lidar com uma grande mudança na vida de KaraSupergirl é transmitida pelo canal CW todas às segundas nos EUA. No Brasil o canal pago Warner Channel irá exibir os novos episódios a partir do dia 26 de outubro, quarta-feira, às 22:30. E você o que achou do retorno de Supergirl? Deixe abaixo seu comentário.

Avalição
Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

21 anos, estudante de Química do Petróleo, viciado em séries. minhas preferidas são Fringe e Hannibal, mas sou fanático por séries baseadas em quadrinhos como The Flash, Arrow, Gotham, Supergirl, Agents Of Shield e Demolidor.

Você também pode gostar