Dica da Semana – ‘Sinfonia da Necrópole’ de Juliana Rojas

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
novo-sinfonia1
Imagem: Divulgação/ Vitrine Filmes

Juliana Rojas começou sua carreira no cinema fazendo apenas curta-metragem e com o seu primeiro projeto, O lençol branco que conta com a direção de Marco Dutra (O Silêncio do Céu), teve conseguiu ir para o Festival de Cannes.

O mesmo aconteceu com o seu primeiro longa-metragem Trabalhar Cansa de 2011, que continua a parceria entre Rojas e Dutra. O seu filme mais recente, Sinfonia da Necrópole, chegou aos cinemas nesse ano e atraiu pouca atenção do público em geral, mas apesar disso é um dos filmes nacionais deste ano que você não pode deixar de ver, tanto pela simpatia quanto pela originalidade.

A história é centrada em Deodato, um aprendiz de coveiro não muito animado com a profissão. Sua rotina melhora quando Jaqueline surge no cemitério. Funcionária do serviço funerário, ela inicia um levantamento sobre túmulos abandonados com a ajuda do rapaz. A paixão o impede de pedir demissão, mas estranhos eventos continuam a abalar seu estado psicológico.

O filme é uma mistura de musical, comédia romântica e para alguns um drama um pouco fora da curva. Ele é diferente dos filmes brasileiros produzidos hoje em dia, mesmo que o nosso cinema esteja cada vez mais diversificado, a falta de um musical é bem clara. O roteiro é extremamente sensível e acredita muito em seu personagem principal.

A fotografia de Flora Dias (Califórnia) é simples e intimista. Em uma cena no carro do IML, há uma longa conversa entre a personagem de Luciana Paes e o de Eduardo Gomes, que resume muito toda a delicadeza deste filme. É tudo muito bem feito. É possível ver nos cenários do filme que são recursos limitados ou até nos objetos de cena, mas é tudo agradável, parece realmente feito para acalmar os corações. O filme tem falhas, sim. O que mais incomoda são algumas das letras, que parecem longas demais e que dá para perceber que as vozes não estavam bem entoadas. Em uma entrevista, Juliana Rojas disse que essa era a proposta. Mas neste caso não funcionou muito bem.

Sinfonia da Necrópole é um belo filme de uma diretora muito promissora. Ela já se mostrou, agora é só esperar que mais uma obra especial e inteligente dela chegue as telas do cinema.

Essa é a dica do Matinê Cine&TV para você, Sinfonia da Necrópole. Assista e comente com a gente.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
, , , ,

Comentários

15 anos. Ainda vive o drama do ensino-médio e tenta em todo tempo livre ler um bom livro, assistir series e admirar um pouco mais a sétima-arte.

Você Também Pode Curtir