elis-01

Elis, cinebiografia da cantora Elis Regina, marca a estreia de Hugo Prata como diretor de longa-metragem. O filme chega aos cinemas brasileiros em 24 de novembro e teve sua primeira exibição durante o Festival de Gramado deste ano.

Na semana passada o Matinê Cine&TV esteve em uma sessão apenas para convidados da imprensa para assistir ao filme e também participar de uma coletiva, com a presença de Hugo Prata (diretor e roteirista), Fabio Zavala (produtor), Andreia Horta (Elis Regina) e Júlio Andrade (Lennie Dale).

Durante a coletiva os presente falaram sobre a montagem do filme, escolha da trilha sonora e histórias que ficaram fora do roteiro. Inclusive, quando o diretor (Hugo Prata) foi questionado sobre como foi feita a montagem do roteiro ele frisa como foi difícil escolher o que seria importante de contar e que precisavam (ele e a equipe de produção) selecionar só o que “levaria a história para frente”, e disse: “Foi bastante difícil tomar essa decisão e escolher quais episódios iriam entrar nesse roteiro. Não caberia tudo, mas a gente queria ir da chegada dela (no Rio de Janeiro) até o final da vida dela. E aí sim, selecionar só os episódios que levam a nossa história para frente.”.

Além disso o diretor também revela que outros acontecimentos importantes na vida da cantora foram retirados do filme, como os problemas familiares e a relação complicada com o pai e cenas que mostravam a cantora em Porto Alegre com fatos importantes da sua origem. Personagens como Tom Jobim, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Rita Lee e muito outros também não participaram, mas alguns são citados durante o filme. O diretor usou o termo “cortamos na carne” para descrever a dificuldade das escolhas que fizeram para a composição da história.

Andreia Horta, que interpreta Elis Regina no filme e foi a vencedora do Kikito de Melhor Atriz no Festival de Gramado deste ano, contou um pouco sobre a preparação que ela teve para viver a personagem nos cinemas: “Foram três meses com preparadores em sala de ensaio, um deles era um preparador musical… porque ela (Elis) tinha um pulmão inacreditável, um fôlego extraordinário… A Maria Silva Siqueira Campos, é a minha parceria mais longeva de trabalhos… eu sempre chamo a Maria pra gente levantar o personagem juntas, mas dessa vez ela acabou preparando todo o elenco também.

elis-02

As fases que a cantora viveu também foram um trabalho difícil para a produção do filme, já que o visual da cantora fazia muito bem essa “distinção” dos grandes momentos da sua vida (como a mudança no corte de cabelo, passando do longo para curto) e o diretor, Hugo Prata, comentou o fato: “Foi uma outra dificuldade do plano de filmagem porque ela é muito camaleônica, mudou muitas vezes o cabelo… e tem horas que a gente tem que simplificar porque o público não consegue acompanhar.”, afirmou o diretor.

Após a coletiva o Matinê Cine&TV conseguiu uma entrevista exclusiva com a atriz Andreia Horta e nós pudemos conversamos um pouco com ela sobre como foi a construção da personagem no filme. Veja a pergunta abaixo:

Matheus Machado (do Matinê Cine&TV): Andreia, para você como fã da Elis e que conhece muito o trabalho dela, foi visível que no começo você se divertia muito em interpretá-la, principalmente nas cenas musicais. Mas como foi trabalhar a proporção dos problemas que foram acontecendo na vida dela durante o filme?

Andreia Horta: “Isso foi uma parte fundamental do trabalho. A vida pessoal dela foi caminhando junto com a obra, e a obra foi ficando muito mais séria ao longo do tempo. Os entendimentos dela, a maturidade dela como artista e como cidadã, também foram ficando mais sérios. Então a obra é absolutamente o resultado dos entendimentos que ela estava tendo na vida, e isso foi um guia para o trabalho. É uma pergunta muito boa, pois era uma das coisas que eu mais pensava porque a obra tem que amadurecer junto com ela.”

Elis contará a trajetória da maior cantora da música popular brasileira, que foi responsável pela mudança do estilo da Bossa Nova para a MPB. O filme estreia 24 de novembro nos cinemas nacionais e em breve a crítica estará no aqui Matinê Cine&TV.

Veja o trailer:

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 4º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.