Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Supergirl surpreende mais uma vez e nos entrega o episódio mais bem construído dramaticamente da série. Changing lidou com mudanças na vida de vários personagens, nos trazendo grandes emoções.

Alex (Chyler Leigh) foi o grande destaque do episódio. A grande mudança que está passando devido à sua sexualidade foi muito bem explorada. A série abraçou seu lado dramático que culminou nesse plot muito bem trabalhado, com destaque para a atuação de Chyler que transmitiu ao telespectador todo o drama, confusão, dúvida e principalmente insegurança com que sua personagem estava lidando ao contar que era gay para sua irmã. A reação de Kara (Melissa Benoist) ao saber da sexualidade de Alex foi bem tranquila, o que já era de se esperar. Além disso, foi muito bonito vê-la com o sentimento de culpa por ser um pouco egoísta e não dar brechas para conversarem sobre a vida amorosa de Alex – já que a maioria das conversas das duas girava em torno da heroína.

Como nem tudo são flores, foi muito triste ver Maggie (Floriana Lima) depois de ter dado o conselho para Alex se abrir com a irmã, para que ela abraçasse quem realmente era e ter dado falsas esperanças à personagem,. Maggie simplesmente não aceitava em ter um relacionamento amoroso com Alex porque esta estava se descobrindo agora e relacionamentos assim nunca iam para frente. O toco gerou uma decepção muito grande para Alex e em uma cena muito triste entre as duas irmãs, Chyler detonou na atuação.

Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

O vilão da semana foi bem construído, dando um ar de ficção cientifica para série. O parasita acabou infectando o Dr. Jones, interpretado por William Mapother, um rosto bem conhecido para os amantes de Lost. O parasita era motivado pela justiça de diminuir o aquecimento global, mais especificamente, queria acabar com as pessoas que tentavam disseminar que o planeta não estava morrendo. Trata-se  daquele vilão com o pensamento certo e as atitudes erradas. O destaque ficou para os efeitos especiais realizados para o visual do personagem, que ficaram excelentes.

A relação entre Mon-El (Chris Wood) e Kara no começo parecia ótima, até que a heroína acaba descobrindo o novo trabalho do alienígena – um tipo de cobrador de aluguel, que encurralava as vitimas e violentamente tentava convencê-las à pagarem suas dívidas. Nesse momento, o relacionamento dos dois ficou bastante conturbado, já que Kara queria transformar o novo amigo em um herói, enquanto ele estava agindo de forma contrária os insultos que acabaram soltando um para o outro revelaram o preconceito que ainda sentiam por serem de planetas rivais. Depois de perceber que estava seguindo em um caminho errado, Mon-El acaba ajudando na derrota do vilão da semana, o parasita. Nos segundos finais do episódio somos surpreendidos com o sequestro do personagem pela Cadmus, gerando um bom cliffhanger para o próximo episódio.

Outro que abraçou o papel de herói foi James (Mehcad Brooks), nos dandoa primeira aparição do Guardião, sendo auxiliado por Wynn (Jeremy Jordan). O Guardião tentou segurar o parasita até que a Supergirl aparecesse para salvar o dia. Os recursos tecnológicos da armadura foram bem produzidos e extramente úteis. No geral o uniforme ficou bacana, mas infelizmente ou felizmente, James, deveria ter sido um dos protagonistas do episódio e acabou sendo ofuscado por todo o restante dos plots. Se não for bem trabalhado, o personagem vai continuar ficando na sombra dos outros para sempre.

Um ponto bastante curioso foi a transfusão de sangue da Miss Marte (Sharon Leal) para Jon Jonn’z/Hank (David Harewood), marciano foi duramente machucado na luta contra o Guardião e acabou precisando da ajuda da Miss Marte, mas como foi revelado ela parece não ser realmente uma marciana verde, e sim branca. Como isso parece ser um segredo ela acabou sendo forçada à realizar a operação e deixou a entender que isso vai prejudicar de alguma forma o John, o que já pôde ser notado na tremedeira da mão do personagem. Basta agora descobrirmos quais serão as consequências dessa mistura de sangue.

COMPARTILHAR
21 anos, estudante de Química do Petróleo, viciado em séries. minhas preferidas são Fringe e Hannibal, mas sou fanático por séries baseadas em quadrinhos como The Flash, Arrow, Gotham, Supergirl, Agents Of Shield e Demolidor.