Crítica | Jack Reacher: Sem Retorno

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

jack-reacher

Em novo filme de ação, Tom Cruise assume totalmente as suas limitações físicas dos seus 54 anos de idade. Jack Reacher: Sem Retorno consegue ser ainda mais genérico do que seu primeiro filme (Jack Reacher – O Último Tiro de 2012).

Jack Reacher é uma mistura dos outros papéis de Tom Cruise (especialmente em Missão Impossível) com Jason Bourne. O protagonista carrega um drama desnecessário e não possui nenhum carisma. É apenas o famoso clichê de filmes de ação em que o galã entra em ação sendo melhor que todos os seus adversários, até surgir um antagonista que desenvolve uma motivação pessoal conta o protagonista.

Não há nada de inovador ou de diferente em Jack Reacher: Sem Retorno, tanto que além de Tom Cruise todo o elenco faz reprise de papéis anteriores. Por exemplo, Cobie Smulders que interpreta a Major Susan Turner, tem na personagem a mesma Maria Hill que fez no Universo Marvel.

O longa tem um elenco conhecido, mas por ter personagens genéricos não consegue se desenvolver de uma forma atraente. Como filme de ação não é eficiente, é capaz de entreter, mas não há nada de mais em toda a sua construção ou conceito.

Em 2012, mesmo sendo genérico, Jack Reachr: O Último Tiro ainda conseguia se sobressair por ter o mistério como uma peça chave do seu desenvolvimento. Diferente disso, o novo longa dirigido por Edward Zwick se desperdiça ao acrescentar um teor “aventuresco” na sua narrativa. Inicialmente a relação de Reacher e Major Turner é desenvolvida apenas por ligações telefônicas e isso demonstra muito bem a fragilidade do filme.

Edward Zwick faz um trabalho ruim com o longa, que junto com a produção de Tom Cruise, não consegue fazer algo marcante no novo Jack Reacher. Algumas cenas funcionam, mesmo não fugindo do mais do mesmo. Lutar contra uma organização criminosa, corrupta e ter um rival que luta melhor que o protagonista (forçando o mesmo a se superar) é a premissa mais comum em filmes de ação e até mesmo suspense. Por isso, Jack Reacher: Sem Retorno, não passa de mais um longa-metragem de ação genérico no cinema.

Avaliação
Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV, estudante de Jornalismo, leitor, cinéfilo e seriador. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek e Star Wars. Na TV The Walking Dead, Game of Thrones, Shameless, Jessica Jones são alguns dos seus favoritos.

Você também pode gostar