Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4×08 – The Laws of Inferno Dynamics

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Arquivo Pessoal/ Rubens Oliveira

A o último episódio de Agents of S.H.I.E.L.D. em 2016 foi marcado por diversas cenas de ação, câmera lenta, ótimos efeitos especiais, referências aos quadrinhos e um final chocante!

Esse último episódio de Agents of S.H.I.E.L.D aproveitou muito bem os seus 42 minutos de duração. O episódio focou em encerrar algumas tramas e resolver problemas para poder iniciar o seu novo arco que deve começar a ser explorado no início de 2017. Com isso a trama do Motorista Fantasma, junto de Robbie e seu tio maluco, Eli, chegou a uma conclusão muito satisfatória. Após fugir do momentum labs, há dois episódios atrás, Eli Morrow (José Zúñiga) colocou Los Angeles no caos, assim como a SHIELD. Para tentar impedir o vilão de concluir seus planos, Coulson e os agentes da SHIELD tiveram que achar uma maneira de enganar Eli e também tentar entender a situação.

A explicação para os poderes de Eli finalmente surgiu e trouxe novamente uma conexão com Doutor Estranho. O poder de “criar” matéria na verdade nada mais era do que Eli roubando energia de outras dimensões, criando uma conexão com o mais recente filme da Marvel. O verdadeiro confronto do episódio foi entre Eli e seu sobrinho, Robbie (Motorista Fantasma), não em uma luta, mas em um diálogo que explicou os motivos de Eli ter feito tudo isso. O vilão desta primeira parte só queria poder para ter seu devido reconhecimento, pois durante toda sua vida viu seu trabalho ser desprezado e sua capacidade desacreditada por todos ao seu redor. O final de Eli, e consequentemente de Robbie, foi uma ótima maneira de encerrar o arco dos dois, tendo Robbie (Gabriel Luna) finalmente sua vingança fazendo o seu malfeitor pagar pelos seus crimes. Resta saber o que aconteceu com os dois após desaparecerem dentro da caixa quântica. Estariam eles em outra dimensão ou ambos morreram? Tratando-se de Agents of S.H.I.E.L.D. podemos esperar retornos futuramente.

Finalmente a Daisy (Chloe Bennet) voltou a integrar oficialmente – e legalmente – a equipe da SHIELD, deixando seus dias de vigilante procurada pelas autoridades para trás. Já estava mais do que na hora de selarem o destino da personagem, que ficou na maioria dos episódios ocupando tela com algumas falas para não falar que se esqueceram dela. A personagem também revelou como seus poderes evoluíram, podendo praticamente voar a milhares de metros de altura. Quem também teve seu devido e merecido destaque neste episódio foi Yo-Yo (Natalia Cordova-Buckley), que protagonizou uma das melhores cenas em câmera lenta da série e parece ter decidido ficar de vez na equipe junto de Mack (Henry Simmons).

Após passar a metade da temporada inteira como uma incógnita, o Diretor Mace (Jason O’Mara) teve neste episódio seus poderes explorados e ajudou a equipe na luta contra Eli Morrow. O novo diretor da SHIELD também esclareceu as dúvidas da equipe quanto ao seu trabalho com a senadora Nadeer (Parminder Nagra) e parece que por fim a equipe se uniu como um time. Contrariando expectativas o episódio não explicou nada quanto ao Inumano que surgiu no episódio anterior, deixando essa questão para ser explorada na segunda parte da temporada, assim como sua relação com a senadora Nadeer.

Agora o grande gancho para os próximos episódios e final deste foi no mínimo intrigante. Pelo que foi mostrado, AIDA (Mallory Jansen) de alguma forma e em algum momento sequestrou a agente May (Ming-Na Wen), substituindo-a por uma cópia que está se passando por ela na equipe da SHIELD. Esse fato trouxe mais dúvida do que surpresa, pois no episódio inteiro não houve nenhum indício de que isso aconteceu ou cena que demostrasse tal fato, mas que isso despertou um interesse a mais para ver os próximos episódios não há dúvidas.

Essa primeira parte da temporada de Agents of S.H.I.E.L.D. se mostrou muito consistente, com mais acertos do que erros, trazendo diversos arcos bons e que conseguiram explorar muito bem alguns personagens, e o gancho deixado para a segunda parte demonstra grande potencial para episódios de ótima qualidade.

Avaliação

Agents¹: “Eu ser o novo Diretor? Talvez na versão em quadrinhos.” A gente entendeu sim a referência.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.

Você também pode gostar

  • CTRL+C (Nixus)

    May foi enviada para buscar AIDA, inclusive reclamando de ser chofer de um robô. O sequestro e substituição dela fica implícito que foi ao chegar no laboratório de Radcliffe para pega-la.

    • Rubens Oliveira

      Boa! Nem percebi na correria do ep