Primeiras Impressões | Santa Clarita Diet

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Mesmo com uma fórmula comum, Santa Clarita Diet consegue entreter e divertir
Santa Clarita Diet
Imagem: Divulgação/ Netflix

A Netflix chega mais uma vez com uma produção de qualidade, o que se tratando de séries já não é nenhuma novidade para o serviço de streaming. Santa Clarita Diet segue uma fórmula comum e segura das comédias americanas, e apesar disso, a intenção do programa é de trazer uma história quase inédita, com um ótimo elenco e um subtexto rico em conceitos atuais.

A história acompanha o casal de corretores de imóveis, Sheila e Joel, em suas vidas normais e teoricamente bem sucedidas em Santa Clarita, mas durante a mostragem de uma casa, Sheila acaba estregando tudo, mas estregando de verdade.

A premissa lembra vagamente de iZombie de CW (onde uma menina acaba virando zumbi), mas a qualidade da produção da Netflix é maior, fora o fato de não se prender a uma trama procedural como a outra série. Santa Clarita Diet, ainda, mesmo que trazendo a transformação de uma mulher normal em uma morta-viva, consegue ser bastante original em sua premissa – por abordar questões atuais sobre transformação e libertação.

No início do primeiro episódio, o roteiro faz com que as diferenças entre o casal fiquem evidentes. Ele (Joel, vivido por Timothy Olyphant) é um homem esbelto, confiante e louco pela esposa (principalmente em questões sexuais), em contra partida, ela (Sheila, vivida por Drew Barrymore) é uma mulher exuberante, com pouca confiança, romântica (que ao contrário do marido, prefere relações sexuais à luz de velas) e como ela mesma diz, gostaria de ser mais ousada. São duas personalidades comuns, mas o diferencial é a transformação do casal no decorrer do primeiro episódio.

A história começa a se sobressair dessa fórmula comum quando o roteiro desenvolve os seus personagens, e assim a inversão de personalidade do casal começa a aflorar na trama. Quando os problemas da transformação de Sheila em zumbi iniciam, a personagem cria impulso e confiança – ou, apenas, adquire o que faltava na sua personalidade -, enquanto o marido perde a ousadia e a confiança. As atitudes do casal dão mais carisma para os dois personagens, porém, há momentos (visíveis) em que os dois não seguram as risadas nas cenas mais dramáticos, ao melhor estilo pastelão, que fazem a série debochar dela mesmo. Ou seja, levar a trama de Santa Clarita Diet a sério não está nas opções disponíveis.

Santa Clarita Diet
Imagem: Divulgação/ Netflix

Apesar de não ser exemplo de formato, a qualidade da nova produção original Netflix está no roteiro, este escrito pelo criador do programa Victor Fresco (no primeiro capítulo), que consegue trazer diversão para o episódio – e verdade seja dita, a fórmula de Santa Clarita Diet é tão comum, que os principais clichês das comédias americanas estão na forma como a trama se desenvolve. Não há nada de inédito no programa, a não ser pelas atuações ótimas de Timothy Olyphant e Drew Barrymore. Os dois estão totalmente a vontade nos seus papéis, além de serem muito carismáticos.

Os personagens secundários, como os vizinhos policiais, são totalmente descartáveis e compartilham diálogos horríveis em uma das cenas do episódio, que tenta satirizar a convivência da tradicional boa vizinhança americana. Porém, a filha do casal e o filho dos vizinhos trazem um frescor mais jovem e tradicional das comédias centradas em adultos, onde os adolescentes enxergam os mais velhos com uma certa estranheza, até que os mesmos fiquem legais. A participação de Nathan Fillion (Castle) é uma das escolhas mais positivas e bizarras da série, mas o personagem é responsável pelo final sensacional do primeiro episódio.

Mesmo não sendo uma comédia inovadora, Santa Clarita Diet consegue fazer o básico de uma comédia: entreter e divertir. Nos dias de hoje é difícil, neste gênero, trazer algo realmente inovador, mas a ideia é sem dúvidas diferente do que o habitual das comédias apresenta na televisão americana. As primeiras impressões da nova série original Netflix são boas, pois independente de qualquer clichê, Santa Clarita Diet é feita com um cuidado especial.

Santa Clarita Diet
Imagem: Divulgação/ Netflix

Para não dizer que é perfeita, o seu único problema é conquistar um público exigente, que pode ter expectativas altas de mais. O chamado hype, pode atrapalhar, mas fato é: Santa Clarita Diet é um bom programa, bem produzido, bem filmado, com um bom roteiro e bons atores. Fica devendo, apenas, em alguns diálogos fracos e instantâneos, mas mais do que isso, é exigir de mais.

Avaliação

(Bom)

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Editor-chefe e criador do Matinê Cine&TV é estudante de Jornalismo, leitor, cinéfilo e seriador. Declarado fã de Harry Potter e O Senhor dos Anéis, Matheus, adoraria viver um apocalipse zumbi em TWD, ou lutar contra os exércitos de Westeros em GoT, mas se contenta em assistir essas e outras dezenas de séries na vida real.

Você também pode gostar