Crítica | LEGO Batman – O Filme

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Além de divertido, LEGO Batman ainda presta grandes homenagens a mitologia do Cavaleiro das Trevas
Imagem: Divulgação/ Warner Bros. Pictures

LEGO Batman – O Filme mostra que a franquia LEGO (tanto na veia principal, como também nos spin-offs) ainda crescerá muito nos cinemas. As possibilidades são infinitas para este universo, que é um dos grandes acertos da Warner Bros. nos últimos anos. A qualidade visual impecável de Uma Aventura LEGO é muito bem reproduzida no novo filme, mas em uma proporção ainda maior a níveis de ação.

Com um ritmo frenético, LEGO Batman impressiona ao trazer a tona, praticamente, toda a galeria de vilões do Batman – uma das mais ricas da DC Comics – em peças LEGO. Assumindo totalmente suas características físicas, assim como no filme de 2014, LEGO Batman impressiona com os movimentos e a riqueza dos detalhes, que mais uma vez se importam com a fidelidade visual do brinquedo.

Com a presença do Coringa encabeçando a horda de vilões que querem acabar com o Batman, o filme começa a retirar elementos de tudo que já foi feito sobre o personagem, principalmente para desenvolver  relação entre o herói e o vilão. Batman: A Série Animada é, visivelmente, uma das grandes inspirações da animação, principalmente por causa dos vilões. Mas antes de enfrentar seus inimigos, LEGO Batman adquire a complexidade do Cavaleiro das Trevas ao acrescentar um arco dramático interessante ao protagonista, que antes de mais nada precisa lidar consigo mesmo para ser capaz de vencer os vilões.

Os medos de Bruce Wayne/ Batman, remetem muito ao arco do personagem em Batman Begins de Christopher Nolan, que redescobriu o personagem de uma forma sombria e realista. Porém, é claro que esse subtexto se esconde atrás de uma linguagem infantil e acessível para adultos e crianças. Este é, talvez, o grande acerto de LEGO Batman: seu roteiro inteligente capaz de agradar fãs do herói, mas que chega para conquistar o coração do público infantil com suas piadas de timing perfeito.

Imagem: Divulgação/ Warner Bros. Pictures

Ao melhor estilo Deadpool, a Warner Animation permite que sua animação tire sarro das adaptações do personagem, desde os sofrimentos em Batman vs Superman, o uniforme com mamilos no Batman de Tim Burton, a dancinha enfadonha de Adam West, além de deixar claro que não existe uma ideia pior do que reunir um grupo de vilões para combater uma ameaça ainda pior – uma bela alfinetada no Esquadrão Suicida de David Ayer.

LEGO Batman consegue dar vida a mitologia do Batman como nunca se viu antes, trazendo até mesmo os vilões mais bizarros do Cavaleiro das Trevas, e até mesmo os grandes vilões dos anos 2000 com personagens de Harry Potter, O Senhor dos Anéis e os Daleks de Doctor Who. Ou seja, mesmo sendo uma animação de texto infantil, o longa não se restringe apenas a um público X, mas tem claras intenções de agradar os fãs do personagem com uma diversão, assim como os amantes da cultura pop em uma construção de referências inteligentes. Mas, a animação ainda vai mais longe, e consegue trazer elementos da Gotham City do game Batman: Arkham Asylum nas ambientações da cidade.

Com um mar de acertos, LEGO Batman consegue divertir, atrair e conquistar com facilidade, não apenas pelo visual impecável, mas pela história digna do Homem-Morcego e seus amigos. O roteiro de Chris McKenna e Seth Grahame-Smith dialoga a vontade com o público ao apresentar personagens conhecidos das histórias do BatmanRobin (referenciando as ligações com o orfanato apresentadas em Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge), Barbara Gordon (como a de Batman: A Piada Mortal), um Comissário Gordon semelhante ao da animação Batman – O Cavaleiro das TrevasAlfred em uma homenagem à Adam West – e ainda aprofundando as relações destes com o solitário protagonista.

LEGO Batman perde a visão de vigilante órfão no momento em que o roteiro trabalha os medos do personagem, como o de ter uma nova família. O herói trabalha sozinho, e faz questão deixar sua condição de trabalho bastante clara, mas a quebra deste pensamento com a necessidade de reconhecer que a arrogância e autossuficiência lhe cegam e o transforma em um tipo diferente de vilão, trazem um arco de redenção clássico a narrativa frenética do filme, agregando mais camadas a este personagem, que inicialmente é apenas um desenho.

Imagem: Divulgação/ Warner Bros. Pictures

Se em Uma Aventura LEGO houve uma proposta emocionante que dialogou com a passagem de duas gerações diferentes, LEGO Batman – O Filme traz um filme do Batman, sobre o personagem, em homenagem a sua história, mas que não faz o Morcego de Gotham perder sua essência.

LEGO Batman é frenético como qualquer grande filme de ação, é suficientemente infantil para agradar a este público, presta homenagens em respeito ao legado do personagem e gratifica os fãs com uma releitura surpreendente do personagem, com novos dramas e dilemas éticos que fogem do simples heroísmo visto no cinema em live-acion. Por incrível que pareça, o Batman de LEGO é um personagem ainda mais complexo em sua construção, sendo moldado com os conceitos certos para a proposta da animação: entreter e divertir em uma grande história de ação e aventura.

Avaliação

(Ótimo)

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV, estudante de Jornalismo, leitor, cinéfilo e seriador. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek e Star Wars. Na TV The Walking Dead, Game of Thrones, Shameless, Jessica Jones são alguns dos seus favoritos.

Você também pode gostar