Crítica | This Is Us – 1×16 – Memphis

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: IMDb

Com um episódio focado em William, This Is Us deu uma despedida digna para o personagem que passou seus últimos momentos de vida ao lado do filho, Randall, no lugar onde nasceu e selou o seu destino.

Seguindo um estilo road movie, “Memphis” contou a história de vida de William (Ron Cephas Jones), desde seu nascimento, com a morte do seu pai na guerra, até a sua própria morte ao lado de Randall (Sterling K. Brown). Apesar de tudo, o episódio foi bem leve, pelo menos até os seus minutos finais, mostrando como William sempre foi um cara apaixonado por sua arte e por sua mãe, interpretada por Amanda Warren. Além disso, “Memphis” explicou com maestria tudo que levou William a usar drogas e contrariando algumas coisas já exibidas, não foi somente por influência da mãe de Randall, Laurel (Jennifer C. Holmes), que ele começou a usar os entorpecentes.

A mãe de William, Dorothy Hill, se mostrou uma figura crucial na vida dele, principalmente porque ele cresceu sem o pai, e isso fez com que os dois fossem muito apegados – e após a morte de Dorothy, William se entregou e perdeu o controle da sua vida. Foi interessante esse ponto de vista, que ressalta o uso de drogas como uma rota de fuga de todo o sofrimento que uma pessoa está passando, buscando algo que o faça se sentir bem, ou ao menos, diminuindo a dor que está sentindo – não que isso seja correto.

Esse episódio foi além de tudo uma redenção do personagem com a cidade e as pessoas que ali deixou. A presença do primo de William, Ricky (Brian Tyree Henry), foi essencial nessa viagem de redenção. Os minutos finais, diferentes de quase todo o episódio, foram carregados de um peso emocional muito forte, gerado pela autenticidade nas atuações de Sterling K. Brown e Ron Cephas Jones. A cena de Randall, confortando o pai a beira da morte foi uma das cenas mais tristes da série e com certeza terá impacto sobre a pessoa que Randall será a partir de agora.

Apesar de William não ter ficando nem um ano presente na vida de Randall, o personagem conseguiu criar um laço muito forte com o filho, lhe transmitindo o máximo que conseguiu enquanto ainda restava tempo e com esta viagem, William ensinou para Randall que ele não deve ter uma vida regada de arrependimentos. Faça o que você quer, aumente o volume do seu carro, abra a janela e apenas dirija.

Avaliação

¨(Excelente)

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
, , , , , ,

Comentários

Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.

Você Também Pode Curtir