Crítica | Agents of S.H.I.E.L.D. – 4×17 – Identity and Change

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: IMDB

Agents of S.H.I.E.L.D não pretende encerrar este arco do Framework tão cedo, deixando isso claro neste novo episódio que mostrou os outros membros da S.H.I.E.L.D em suas novas vidas e o desenvolvimento do Fitz (Iain De Caestecker) como um potencial vilão.

No episódio anterior a série focou em mostrar este novo mundo e as novas vidas dos personagens, mas se analisado com cuidado, alguns personagens como Mack, Mace e Radcliffe foram deixados de lado. Identity and Change mostrou as novas vidas desses três, tendo total ligação com a trama central da série. Mack (Henry Simmons), por exemplo, não perdeu a filha, mas aparenta ter perdido sua esposa, já Mace (Jason O’Mara) não poderia estar melhor, dando vida ao vigilante inumano O Patriota, e Radcliffe (John Hannah) se mostrou uma peça chave para ajudar a acabar com este mundo de ilusões.

O episódio serviu, primeiramente, para juntar as narrativas de todos os personagens. Daisy (Chloe Bennet) e Jemma (Elizabeth Henstridge) convenceram Coulson (Clark Gregg) de que ele estava em uma realidade falsa, Ward (Brett Dalton) apresentou-as para a S.H.I.E.L.D deste novo mundo e isso deu início a introdução de Mace, conhecido aqui como O Patriota. Mack teve um papel maior, se ligando com a S.H.I.E.L.D após atrair Daisy e se sentir culpado.

Com Daisy capturada, restou mais espaço de tela para a interação constrangedora entre Ward e Jemma. É notável o desconforto entre os dois personagens, sendo que Jemma odeia o Ward por motivos que já conhecemos, mas o Ward desta realidade não conhece e nem é o mesmo Ward que fez o que fez com a Jemma no mundo real. Os dois foram os responsáveis pelo desenvolvimento da trama, após se dirigirem até a ilha onde AIDA (Mallory Jansen) escondeu Radcliffe. Coulson também estava presente, mas serviu só como um alívio cômico.

A partir do momento que os três chegam à ilha e AIDA também – afinal, ela é uma deusa neste mundo e sabe de tudo – o episódio assume um ritmo frenético no desenvolvimento da trama. Fitz ganha um destaque absurdo, que já podia ser notado dede o episódio anterior, mas se consolidou após Jemma assistir seu amado matar uma pessoa impiedosamente. É inegável que o personagem está se saindo muito bem como um potencial vilão e será muito bom se continuarem a desenvolver tão bem os personagens como estão fazendo agora.

Avaliação

(Muito Bom)

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.

Você também pode gostar