Aguardado no Festival de Cannes, remake de O Estranho Que Nós Amamos ganha primeiro cartaz nacional

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Inocentes. Até uma traição“, diz o intrigante cartaz nacional de O Estranho Que Nós Amamos divulgado pela Universal Pictures. O longa, com direção de Sofia Coppola, é um dos mais aguardados do Festival de Cannes deste ano, além de estar na competição principal.

Veja o cartaz:

 

“Ambientado durante a Guerra Civil em uma escola dedicada a meninas no sul da Virgínia, o longa apresenta intrigas, paixões e rivalidade. Abrigadas no colégio e afastada dos homens, as meninas encontram um soldado machucado que precisa de cuidados médicos, fornecem abrigo e cuidam de suas feridas. Mas, com sua chegada, a casa é estranhamente tomada por uma forte e perigosa tensão sexual que gera rivalidade entre as estudantes. Tabus são quebrados em uma inesperada reviravolta de acontecimentos.”

O elenco de peso conta com  Elle Fanning (Demônio de Neon), Kirsten Dunst (Estrelas Além do Tempo), Nicole Kidman (Os Outros), Colin Farrell (Animais Fantásticos e Onde Habitam), Angourie Rice (Dois Caras Legais), Emma Howard (da série Transparent), Oona Laurence (Perfeita é a Mãe!) e Addison Riecke.

O romance original, de 1971, foi dirigido por Don Siegal (Vampiros de Almas), e estrelado por Clint Eastwood (Menina de Ouro) e Geraldine Page (O Regresso para Bountiful).

Além de dirigir, Sofia Coppola também produz e escreve o roteiro. O Estranho Que Nós Amamos chega aos cinemas brasileiros em agosto de 2017, com a data oficial ainda a ser confirmada.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Editor-chefe e criador do Matinê Cine&TV é estudante de Jornalismo, leitor, cinéfilo e seriador. Declarado fã de Harry Potter e O Senhor dos Anéis, Matheus, adoraria viver um apocalipse zumbi em TWD, ou lutar contra os exércitos de Westeros em GoT, mas se contenta em assistir essas e outras dezenas de séries na vida real.

Você também pode gostar