Boguslaw Linda como Wladyslaw Strzeminski em Afterimage

Afterimage, de Andrzej Wajda, é o destaque da semana entre os lançamentos das plataformas digitais no Brasil. O filme é considerado uma obra primorosa realizada pelo diretor, refletindo conceito sobre a imagem (o que é, o que significa, entre outros). O longa é uma cinebiografia do pintor Wladyslaw Strzeminski, e marca o último filme de Wajda, que morreu aos 90 anos – um ano antes do lançamento do seu último longa-metragem.

Confira os destaques:

Afterimage (de Andrzej Wajda)

O último filme de Andrzej Wadja é uma ode à arte. Esta é a história de Wladyslaw Strzeminski, um dos artistas poloneses mais importantes e avant-garde do século XX, opositor do realismo socialista, que lutou até o fim pela sua liberdade de expressão.

 

 

 

 

Serviço (Aftermage)

NOW (R$11,90) / VIVO PLAY (R$ 11,90) / Google Play (Compra R$ 29,90 Aluguel R$9,90) / iTunes (Compra US$6.99 Aluguel US$2.99)

 

Bye Bye Alemanha (de Sam Garbarski)

Exibido no Festival de Berlim deste ano, o longa traz a história do judeu David Berman (Moritz Bleibtreu) e seus seis amigos, que só têm um propósito em mente: conseguir finalmente ir embora da Alemanha. Mas, nos tempos difíceis de crise após o fim da Segunda Guerra Mundial, eles precisam de muito dinheiro para realizar seu sonho de partir para os Estados Unidos. Para isso, encontram apenas uma saída: começar a vender enxovais para mulheres alemãs. Mas Berman esconde segredos que ninguém sabe e que podem atrapalhar seus planos. – Baseado no romance “O Caixeiro-Viajante”, de Michel Bergmann.

Assista o trailer

 

Serviço (Bye Bye Alemanha)

NOW (R$11,90) / VIVO PLAY (R$ 11,90) / Google Play (compra R$ 29,90, aluguel R$9,90) / iTunes (compra US$6.99, aluguel US$2.99)

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 4º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.