Reprodução/IMDb
Allison Janney no filme I, Tonya
Reprodução/IMDb

Em entrevista ao The Ellen DeGeneres Show, Allison Janney, que integra o elenco do elogiado I, Tonya, revelou que Tonya Harding (a ex-patinadora que tem sua história retratada no filme) gostou do que assistiu no longa (via EW).

“Ela adorou o filme. Havia partes que ela não estava gostando, mas acho que na maioria ela estava bem entusiasmada. Eu só queria dar um abraço nela, porque, quando ouvimos sobre essa história nos disseram o que deveríamos pensar sobre ela e nos disseram que ela era uma vilã . Na verdade, a história do que aconteceu com ela era muito mais complicado do que isso. E eu acho que as pessoas terão muito mais compaixão com ela.”, disse Allison Janey na entrevista.

I, Tonya é protagonizado por Margot Robbie (Esquadrão Suicida, A Lenda de Tarzan) e traz ainda Sebastian StanAllison JanneyJulianne NicholsonPaul Walter Hauser e Bobby Cannavale no elenco. A direção é de Craig Gillespie (A Mulher Ideal, 2007), com roteiro de Steven Rogers (Lado a Lado, 1998). I, Tonya chega aos cinemas no dia 08 de dezembro nos EUA.

Confira o trailer completo do filme, seguido da sinopse oficial.

 

 

“Com base em eventos inacreditáveis, mas verdadeiros, I, Tonya é um conto sombrio e cômico da patinadora americana, Tonya Harding (Margot Robbie), e um dos mais sensacionais escândalos da história do esporte. Embora Harding tenha sido a primeira mulher americana a completar um eixo triplo em competição, seu legado foi definido para sempre por sua associação com um ataque infame, mal concebido e ainda mais mal executado contra a concorrente olímpica Nancy Kerrigan. I, Tonya é um retrato absurdo, irreverente e penetrante da vida e carreira de Tonya Harding em toda sua glória não controlada.”

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 4º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.