Uma das principais surpresas do final da primeira temporada de Westworld aconteceu durante a execução do plano de fuga que Maeve (Thandie Newton) colocou em prática. Durante o trajeto dentro da Delos, ela e outros personagens, junto dos espectadores, descobriram que dentro do parque existe um mundo com samurais asiáticos, que se chama Shogun World, oficialmente.

Em entrevista a Entertainment Weekly (via Collider), os criadores da série, Jonathan Nolan e Lisa Joy, entregaram novos detalhes sobre o mundo dos samurais e justificaram a escolha do Shogun World antes dos mundos Romano e Medieval – que aparecem no filme homônimo de 1973. Um dos motivos é porque a dupla quer alcançar um público global, saindo do centro América do Norte e Europa Ocidental.

“Tudo se resume a eu ser obcecado pelo cinema japonês desde criança, e sinceramente quero fazer uma homenagem a Akira Kurosawa e aos outros filmes que eu cresci assistindo. Meus irmãos mais velhos e eu assistimos aos filmes de samurai clássicos de Kurosawa e aos westerns de Sergio Leone…”, disse Nolan para a EW.

Lisa Joy, durante a entrevista, também se revelou uma grande fã do cinema japonês, mostrando ainda uma ligação pessoal com a cultura asiática.

“Eu cresci na Ásia, e lembro que quando criança estava em Taiwan assistindo filmes e ficando impressionada com esses novos mundos do entretenimento. Conheci novos talentos, estilos de luta, novos tipos de roupas. Foi emocionante para mim. Então procuramos todos os nossos chefes de departamento para termos a emoção de explorar o Shogun Worl, pesquisando sobre cabelo, design de produção e figurino, trabalhando com coreógrafos hábeis em estilos de luta que nunca vimos antes, e claro, contando com o talento incrível de Hiroyuki Sanada e Rinko Kikuchi, entre outros atores e os extras (figurantes). Foi maravilhoso ver esse mundo ganhar vida.”, disse Lisa Joy.

Westworld

Durante a entrevista, a dupla confirmou que o Shogun World é inspirado no período Edo (1603-1868), quando o Japão era governado pela família Tokugawa. Além disso, Nolan afirma que o Shogun World também será muito violento, inspirando-se no estilo de violência ditado por Kurosawa e dos filmes estrelados por Sonny Chiba, ator que foi uma das influências de Quentin Tarantino ao conceber sua violência brutal e sangrenta em Kill Bill.

“… essa sensação de um mundo alternadamente brutal e belo, eleva o que os convidados podem estar procurando. Não foi apenas sobre ter sangue, mas também é sobre ser imersivo. Queríamos sentir que nossa história caiu em um mundo totalmente diferente. Basicamente, temos um episódio inteiro em japonês.”, revelou Jonathan Nolan na entrevista.

Contudo, para não deixar os fãs da série com grandes expectativas, Nolan ainda afirma que a maior parte da segunda temporada continua sendo ambientada no Westworld. Mesmo assim, a série vai explorar outros mundos, e alguns dos episódios terão cenas no Shogun Wolrd – além do episódio que será inteiramente em japonês.

“… eu digo que estamos tentando moderar as expectativas, exceto para dizer que as coisas que fizemos para o Shogun World são espetaculares.”, disse, por fim, Jonathan Nolan.

A segunda temporada de Westworld estreia no dia 22 de abril. Leia a crítica da primeira temporada.

COMPARTILHAR
Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek, Star Wars, Marvel, DC Comics. Na TV The Walking Dead, Shameless, Jessica Jones, The Handmaid's Tale, entre outras, são algumas das suas favoritas.

Comentários