O Primeiro Homem
Reprodução;IMDb

Apesar da juventude, 33 anos, Damien Chazelle se afirma como um dos grandes talentos que apareceram nesta década. O cineasta conta com três trabalhos distintos, mas todos com qualidade técnica acima da maioria (tanto que os dois anteriores, que o fizeram ter tal status, figuraram na principal premiação do cinema).

Whiplash – Em Busca da Perfeição é um trabalho intenso, e até visceral. La La Land – Cantando Estações, por outro lado, é um espetáculo de música, cores e emoções, que, aliás, faz com que se espere muito de Chazelle em seu mais novo trabalho: O Primeiro Homem.

Contando a história de Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua, o cineasta abre mão do espetáculo para trazer uma abordagem intimista ao mostrar a trajetória do protagonista até a realização do feito histórico. Ryan Gosling, que estrelou o filme anterior do diretor, retoma a parceria com Chazelle para protagonizar O Primeiro Homem, ao lado de Claire Foy, recente vencedora do Emmy de Melhor Atriz em Série Dramática, por The Crown (da Netflix).

Chazelle tem talento e habilidade para encantar durante a projeção, e logo nos primeiros minutos, colocando seus personagens em uma situação intensa, percebe-se que o longa não vai priorizar o feito, em si, mas sim os envolvidos na história. A abordagem intimista provoca um sentimento de que tudo terá grande sensibilidade, dando destaque emocional à trama do filme.

O Primeiro Homem
Reprodução/IMDb

Se preocupar com o lado humano e fazê-lo crível aos olhos do público pode ser um dos principais feitos de O Primeiro Homem. A construção do tom, aqui, está atrelada a tal sensibilidade, e o trabalho de humanizar os personagens torna-se primordial para o filme – fazendo com que tudo esteja concatenando com o seu principal objetivo, o que nem sempre acontece. Contudo, trazendo essa exigência emocional, era necessário que o elenco – cheio de rostos conhecidos – entregasse esse sentimentalismo (sem ser piegas).

No entanto, é nisso que, talvez, O Primeiro Homem se faça insuficiente. Criar a expectativa de entregar emoções vibrantes, e dar, na verdade, um resultado ameno, provando que apesar das boas intenções, Damien Chazelle não consegue de fato emocionar o público – a trilha sonora, sempre marcante nos seus filmes, aliás, carrega o que este (filme) não consegue transmitir, em sua maioria.

O acontecido, recém citado, atrela-se também a inexpressividade do protagonista. Ryan Gosling tem charme, como visto em La La Land, podendo ser frio e carregar peso, como foi em Blade Runner 2049, mas em O Primeiro Homem, nem sempre, o ator entrega o que o drama precisa e se mostra limitado dentro da sensível proposta do diretor.

O mesmo não se repete com sua parceria. Claire Foy se destaca em relação ao colega, e ela, sim, entrega aquilo que o drama lhe exige em pontos dramaticamente importantes da história.

O Primeiro Homem
Reprodução/IMDb

O Primeiro Homem consegue extrair momentos de exaltação, onde as partes cruciais da história se sobressaem e quebram a monotonia dramática pouco envolvente da sua proposta. O agravante, ainda, é que o longa não tem o mesmo fôlego de outros pequenos grandes momentos, justamente quando o seu ápice deveria acontecer. A narrativa permanece sempre nivelada, sem uma crescente que faça o tempo de sua projeção apresentar uma história gradualmente emocionante.

Eficiente ao mostrar a dor das perdas envolvidas na corrida especial, enfim com sentimentos palpáveis, O Primeiro Homem entrega sinceridade e verdade na visão intimista de Damien Chazelle, que necessitava de mais emoção, é verdade, e mesmo carregando o peso requerido, falta vibração no novo trabalho do diretor.

O Primeiro Homem deve chegar com certa força nas premiações, afinal, mesmo não acertando em tudo, o longa tem qualidade técnica, como se poderia esperar do caprichoso cineasta que está a frente do projeto. Visualmente bem construído e resolvido, O Primeiro Homem não atinge todo o potencial que parecia estar desenhado.

Avaliação
Avaliação: Bom
7.5
COMPARTILHAR
Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek, Star Wars, Marvel, DC Comics. Na TV The Walking Dead, Shameless, Jessica Jones, The Handmaid's Tale, entre outras, são algumas das suas favoritas.

Comentários