A minissérie britânica Normal People, produzida pela BBC Three em parceria com o Hulu, chegou quinta-feira (16) no Brasil pelo serviço de streaming Starzplay. Com 12 episódios, cuja duração média é de 20 à 30 minutos, a minissérie tenta adaptar todo o sucesso do best-seller Pessoas Normais, lançado em 2018 no Brasil.

A trama da minissérie é centrada nas vidas de Marianne (Daisy Edgar-Jones) e Connell (Paul Mescal). Ela é uma estudante do último ano do ensino médio e membro de uma família de classe média alta, ele também está terminando o segundo grau e sua mãe, Lorraine (Sarah Greene), trabalha limpando a casa de Marianne. Certo dia, Connell vai buscar sua mãe no trabalho e depois começa a desenvolver um relacionamento amoroso com a personagem de Daisy Edgar-Jones.

O grande trunfo de Normal People é a organicidade do relacionamento entre os protagonistas. Ambos são mostrados durante um grande período de suas vidas, que tem início ainda no ensino médio e vai até um pouco além da vida universitária. Durante esse espaço de tempo, Marianne e Connell se descobrirem, tanto emocionalmente quanto fisicamente, enfrentando momentos de separação e reconciliações, perdas e incertezas.

A ligação emocional presente nas atuações de Daisy Edgar-Jones e Paul Mescal traz uma camada orgânica para o casal, que é quando é possível enxergar verdade nos personagens, ao se identificar com suas ações e situações em que eles se encontram.

A relação entre Connell e Marianne é definida pela dualidade em suas personalidades. No ensino médio, ele é um garoto relativamente popular, com um círculo de amigos estável e se sente acomodado com essa sua realidade momentânea. Ela, no entando, não possui amigos e sofre com os julgamentos dos colegas, odiando sua realidade. Quando ambos vão para a universidade, os papéis se invertem e Marianne é a garota que se encaixa e Connell se sente deslocado. São nesses dois períodos onde o relacionamento deles é desenvolvido, seguindo as mudanças na essência de suas vidas.

A minissérie ainda aborda temas como depressão, suicídio e agressão doméstica, acrescentando camadas em Marianne e Connell com base no desenrolar dos problemas em suas vidas. Ela se vê presa em um relacionamento abusivo com o irmão Alan (Frank Blake), temendo perpetuar o mesmo destino da mãe Denise (Aislín McGuckin), que sofria violência doméstica. Com isso, Marianne que merece ser menosprezada e não ser amada. Connell se encontra em um buraco emocional, após o suicídio de um amigo próximo, o impedindo de seguir em frente com sua vida.

Normal People se mostra uma grande escalada de emoções e vivências, acumulando durante 12 episódios o desenvolvimento de dois personagens e suas vidas, abarcando cada momento definidor de um ser humano por meio das suas trajetórias pessoais. Isso acontece por meio dos encontros e desencontros do relacionamento dos protagonistas. É, verdadeiramente, uma história de amor dos tempos modernos, uma mistura de paixão ardente e infortúnios.

Avaliação
1
9
COMPARTILHAR
Sou com certeza um viciado em séries. Gosto de todos os tipos. Minhas preferidas são Sense8, Séries da Marvel,Game of Thrones, Westworld e Outlander. Se tiver super-herói pode ter certeza que vou assistir.