Click - Adam Sandler
Adam Sandler no filme Click | Imagem: Reprodução / AdoroCinema

São tantas e ao mesmo tempo tão poucas as opções de filmes e séries nos serviços de streaming. Inúmeras vezes alguém já deve ter se visto zapeando o catálogo da Netflix, Prime Video, Telecine Play, Globoplay, entre tantos outros, por incontáveis minutos e acabar não escolhendo nada. Às vezes é difícil escolher o que assistir, mesmo que em outros momentos pareça tão fácil.

É normal saber o que quer, assim como é comum não saber e ficar sem entender. A situação faz parte, e talvez exista algum estudo aprofundado que explique o motivo disso. Ou não. A questão não é de explicar o porquê disso acontecer e muito menos de dar métodos que resultam em uma solução. A resposta para a pergunta feita no título pode estar dentro de cada um.

No entanto, como a pergunta foi feita é necessário buscar uma resposta. Em uma pesquisa rápida no Google é difícil encontrar algo concreto sobre o tema. Para ter mais embasamento é preciso ler sobre isso quando relacionado a outro assunto. Por exemplo, por que às vezes é tão difícil tomar uma decisão. Mesmo com isso é complicado encontrar a resolução dessa questão.

Às vezes pode ser só uma questão interna de cada um, por exemplo, de como se sente em um momento específico do dia e como isso pode definir a vontade do que você quer assistir. Um romance, um drama, uma aventura, um suspense, um terror. As influências são muitas, e não apenas o humor ajuda e dificulta a escolha como também o clima (frio, calor, a brisa amena do fim de tarde ou o vento gelado da noite, o silêncio da madrugada, e por aí vai), ou até mesmo o dia da semana.

É normal querer ver um filme rápido e descompromissado quarta-feira à noite em meio a uma semana conturbada. Ou sábado de tarde quando todas as atividades semanais do trabalho, escola ou faculdade foram concluídas e você pode finalmente parar tudo, fazer a pipoca, encher o copo de refrigerante e se entregar inteiramente a um filme que foi lançado, ou que há muito tempo tinha vontade de assistir.

É engraçado, mas real, pensar que tudo na vida e do dia a dia pode influenciar na simples ação de escolher um filme ou uma série para assistir. Às vezes até mesmo o hype pode definir isso. Existem pessoas que adoram seguir a onda do mesmo, de ver o que está sendo comentado em meio a enxurrada de tweets, stories e posts no Facebook sobre determinado longa-metragem ou seriado. Assim como também tem os que fogem disso e preferem dedicar o seu tempo a algo que ninguém está falando.

Em outros momentos talvez seja melhor não assistir nada. Quem já passou por essa dificuldade pode entender com perfeição a simplicidade dessa afirmação. O ato de assistir algo pode causar uma estafa mental e a mente se coloca nesse impasse por simples cansaço – que na maioria das vezes ninguém consegue compreender. Talvez seja isso porque não é um psicólogo falando, é apenas alguém que já passou inúmeras vezes por essa situação que está fazendo uma suposição na busca de um entendimento.

Seja uma maratona de O Poderoso Chefão, De Volta Para o Futuro, contemplar um filme de Andrei Tarkovski ou assistir um clássico de Sessão da Tarde, escolher o que assistir pode ser complicado. Mas se você conseguir se entender no momento certo, a tarefa pode ficar mais fácil.

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 4º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.