Grogu (aka Baby Yoda) em imagem da série The Mandalorian do Disney+ | Crédito: Divulgação/Disney+

O Disney+ superou a marca dos 100 milhões de assinantes pagos no mundo. Segundo o SpoilerTV, a informação foi revelada por Bob Chapek, diretor executivo da The Walt Disney Company, durante um encontro anual com acionistas da empresa que foi realizado virtualmente. A plataforma de streaming da Disney está no ar desde o dia 12 novembro de 2019.

O sucesso da plataforma fez com que os executivos da Disney pensassem grande. Ao comentar o crescimento do serviço de streaming, Chapek confirmou que o Disney+ investirá ainda mais em conteúdo original. “Estabelecemos uma meta de mais de 100 novos títulos por ano”, declarou o executivo ao confirmar que o objetivo inclui animações e live actions Disney, Marvel, Star Wars e National Geographic.

De acordo com dados do Statistas, site referência sobre mercado e consumidores, o Disney+ começou o ano de 2021 com 94.9 milhões de assinantes pagos. Ao longo de 2020, ano em que a plataforma foi lançada na América Latina (incluindo o Brasil), foram mais de 70 milhões de novos pagantes no serviço de streaming. A vantagem do serviço por assinatura da Disney em relação a concorrência é que muito do seu conteúdo vem de canais de distribuição já consolidado (TV e cinema). O catálogo é composto por programas novos como WandaVision (leia a crítica da minissérie) e The Mandalorian (leia a crítica da 2ª temporada), mas também por clássicos animados, Pixar, Star Wars e Marvel Studios.

Em comparação, a principalmente concorrente da plataforma, Netflix, finalizou 2020 com mais de 203 milhões de assinantes pagos, com 70 milhões localizados nos Estados Unidos. Embora tenha tido um grande crescimento, o Disney+ ainda se encontra atrás do Prime Video. Segundo o Statista, o streaming da Amazon tem pouco mais de 117 milhões de assinantes em todo o mundo (a informação foi atualizada na última segunda-feira, 08, pelo site; veja aqui).

Imagem do filme Raya e o Último Dragão
Cena da animação Raya e o Último Dragão da Walt Disney Animation Studios, lançamento mais recente do Disney+ | Crédito: Disney

Enquanto isso, as previsões de crescimento do Disney+ continuam positivas. O Statista especula que até 2025 a plataforma da Disney deve superar o Prime Video em número de assinantes pagos. No ano seguinte, 2026, deve ultrapassar a Netflix. Nesta caminhada, outra plataforma também deve entrar com força na disputa de popularidade. Com previsão de estreia para o final de junho, o HBO Max fechou 2020 com cerca de 61 milhões de assinantes.

A pandemia da covid-19 acelerou o processo de lançamento das plataformas, e a disputa por assinantes e popularidade deve crescer ainda mais na indústria do entretenimento nos próximos anos. Com isso, a oferta de conteúdo episódio e de longa-metragem também deve aumentar a produção cinematográfica.

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 6º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.