Por volta das 09h20 da manhã desta segunda-feira, 15, Priyanka Chopra e Nick Jonas apresentaram a live que revelou os indicados ao Oscar 2021. A lista, que você pode conferir aqui, trouxe boas surpresas, alguns esnobados e fatos que marcam a história da premiação. Nesta matéria especial sobre a 93ª edição do prêmio mais importante do cinema, a Matinê reúne as mais importantes curiosidades deste ano na premiação realizada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

O maior indicado do Oscar 2021

Mank, dirigido por David Fincher, é o filme com mais indicações na 93ª edição do Oscar, com 10 no total | Crédito: Netflix

Mank, filme dirigido por David Fincher e disponível na Netflix, recebeu o maior número de indicações: 10. Depois do longa-metragem que fala sobre os bastidores das gravações de Cidadão Kane, os filmes Meu Pai, Judas e o Messias Negro, Minari – Em Busca da Felicidade, Nomadland, O Som do Silêncio e Os 7 de Chicago receberam seis nomeações. Todos os filmes citados estão na categoria principal do Oscar, a de Melhor Filme. O último integrante do Best Picture (melhor filme) é Bela Vingança (Promising Young Woman), que apareceu em cinco categorias.

Sucesso da Netflix

A Netflix, principal plataforma de streaming do mundo, recebeu um total de 35 indicações ao Oscar deste ano. A empresa supera com folga as 24 nomeações que recebeu em 2020. Entre os longas-metragens lançados pelo streaming estão Os 7 de Chicago, Pieces of a Woman, A Voz Suprema do Blues e o documentário Crip Camp.

Mulheres fazem história em Melhor Direção

Emerald Fennel (esquerda) diretora de Bela Vingança e Chloé Zao (direita) diretora de Nomadland

Há algumas semana a diretora de Nomadland, Chloé Zao, está deixando o seu nome marcado nas premiações. Com a lista de indicados do Oscar, a cineasta é a primeira mulher não branca a ser nomeada em Melhor Direção. Ao lado de Zao está Emerald Fennell, diretora de Bela Vingança. Essa é a primeira vez em que duas mulheres recebem indicações nesta categoria em uma mesma edição. A cineasta que realizou Nomadland ainda quebrou outra marca: é a mulher que mais recebeu indicações em um único ano, aparecendo em 4 categorias. Fennell teve três, e fica ao lado de Sofia Coppola e Fran Walsh.

Leia também: Chloé Zao fez história no Critics’ Choice

Indicação póstuma de Chadwick Boseman

Chadwick Boseman, em cena de A Voz Suprema do Blues | Crédito: David Lee | Netflix

Pela sétima vez em seus 93 anos de história, o Oscar apresentou uma indicação póstuma. Chadwick Boseman, que morreu aos 43 anos em 2020, teve o trabalho em A Voz Suprema do Blues reconhecido pela The Academy. Além disso, Boseman é o favorito ao prêmio de Melhor Ator. A categoria ainda tem nomes de peso, como Anthony Hopkins (Meu Pai), Gary Oldman (Mank), o elogiado Riz Ahmed (O Som do Silêncio) e Steven Yeun (Minari – Em Busca da Felicidade). Boseman é o primeiro ator negro a receber uma indicação póstuma.

História na categoria de Melhor Ator

Steven Yeun (esquerda) no filme Minari – Em Busca da Felicidade e Riz Ahmed (direita) no filme O Som do Silêncio | Crédito: Reprodução / The Movie Database (TMDb)

Riz Ahmed e Steven Yeun fizeram história. Os atores que despontaram depois de bons trabalhos na televisão – Ahmed foi destaque na minissérie The Night Of da HBO, enquanto Yeun viveu, por alguns anos, o Glen em The Walking Dead – realizaram dois marcos importantes no Oscar: Steven Yeun é o primeiro ator asiático-americano a ter uma nomeação, enquanto Riz Ahmed é o primeiro muçulmano a figurar nesta sessão do Oscar.

Ignorado na temporada de premiações, mas reconhecido no Oscar

Lakeith Stanfield como Bill O’Neal no filme Judas e o Messias Negro | Crédito: Cortesia da Warner Bros. Pictures

Talvez a maior surpresa entre os indicados nas categorias de atuação tenha ficado por conta de LaKeith Stanfield. O ator, que vive um informante do FBI em Judas e o Messias Negro, e é conhecido por trabalhos em Corrra! (leia a crítica do filme) e na série Atlanta, foi ignorado por outras premiações, como o prêmio do Sindicato dos Atores. Apesar disso, Stanfield recebeu a esperada indicação na categoria de Melhor Ator Coadjuvante no Oscar. Judas e o Messias Negro também teve Daniel Kaluuya indicado na mesma categoria.

Cineastas de Os 7 de Chicago e Uma Noite em Miami… fora da Melhor Direção

Aaron Sorkin (esquerda) diretor de Os 7 de Chicago e Regina King (direita) cineasta que realizou Uma Noite em Miami… | Créditos: (esquerda) Niko Tavernise / Netflix © 2020 – (direita) Reprodução / MoveMaker

Contrariando o que foi visto em algumas premiações, Aaron Sorkin e Regina King ficaram de fora dos indicados a Melhor Direção no Oscar 2021. Sorkin, que dirigiu Os 7 de Chicago, foi indicado ao Globo de Ouro e ao Critics’ Choice na categoria, mas assim como na lista final do BAFTA, não ingressou na corrida pela estatueta como melhor diretor. Também indicada ao Globo de Ouro e ao Critics’ de direção, Regina King, por outro lado, poderia ser a primeira mulher negra a receber uma indicação na categoria, o que não aconteceu desta vez.

A surpresa em Melhor Direção

Aaron Sorkin e Regina King talvez estivessem disputando a última vaga na categoria de Melhor Direção. Ambos dirigiram dois dos principais filmes de 2020 e talvez fosse justo que um estivesse indicado. Surpreendendo a todos, o cineasta dinamarquês Thomas Vinterberg ficou com a vaga na categoria. Vinterberg dirigiu Druk – Mais Uma Rodada (Another Round).

Indecisões ainda marcam a data de entrega dos prêmios

Durante a transmissão em que os indicados do Oscar 2021 foram revelados, o presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, David Rubin, confirmou que a cerimônia será realizada em dois locais. Um será o tradicional Dolby Theater, onde a premiação costuma acontecer. O outro lugar é o Union Station, também localizado em Los Angeles. Embora confirme essas informações, o presidente da The Academy não deixou claro o formato em que a entrega será feita. Algumas premiações, como Emmy e Globo de Ouro, fizeram os anúncios do vencedores presencialmente, e os ganhadores receberam os prêmios em casa. Mas com a confirmação do Union Station, existe uma possibilidade muito grande de que os indicados recebam as estatuetas de forma presencial, já que o espaço do local é bem maior que o do Dolby Theater.

Recorde de atores e atrizes não brancos entre os indicados

Daniel Kaluuya (centro) como Fred Hampton em cena de Judas e o Messias Negro | Crédito: Cortesia da Warner Bros. Pictures

As quatro categorias de atuação somam ao todo 20 atores e atrizes tendo os seus trabalho reconhecido todos os anos pelo Oscar. Depois de críticas por falta de diversidade nos últimos anos, e pela edição de 2021 ter apenas Cynthia Erivo, sendo a única atriz negra indicada, a edição 93 da premiação trouxe nove atores e atrizes não brancos entre os nomeados em Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Atriz Coadjuvante.

Coréia do Sul segue fazendo história

Yuh-Jung Youn em cena do filme Minari – Em Busca da Felicidade | Crédito: Reprodução / TMDb

Depois de Parasita e Bong Joon-Ho fazerem história no Oscar em 2020, a atriz de Minari – Em Busca da Felicidade Yuh-Jung Youn se tornou a primeira sul-coreana indicada na categoria. Além disso, Youn é uma das favoritas a ganhar o prêmio.

Diversidade entre os indicados

Com o recorde de indicados não brancos da edição, a distribuição das nomeações também é um fator positivo da lista do Oscar 2021. As categorias de atuação, desta vez, não são majoritariamente brancas. Em Melhor Ator, três indicados são atores não brancos; Em Melhor Atriz, Viola Davis e Andra Day são as únicas não brancas indicadas; Em Melhor Ator Coadjuvante, Daniel Kaluuya, Leslie Odom Jr. e LaKeith Stanfield estão entre os indicados; E em Melhor Atriz Coadjuvante, a diversificação ficou com Yuh-Jung Youn.

Equipe de produtores de Judas e o Messias Negro também é destaque

Charles D. King (esquerda) e Ryan Coogler (direita) são produtores do filme Judas e o Messias Negro | Crédito: Glen Wilson

Todos os nomes que integram o grupo de produtores de Judas e o Messias Negro são de pessoas negras: Shaka King, Charles D. King e Ryan Coogler. Com a indicação de Melhor Filme ao longa-metragem (que contempla os produtores do longa), essa é a primeira vez que uma equipe inteiramente não branca recebe uma indicação no Best Picture.

Indicação histórica para maquiadoras de A Voz Suprema do Blues

Mia Neal e Jamika Wilson se tornaram as duas primeiras mulheres negras a serem indicadas na categoria de Melhor Cabelo e Maquiagem na história do Oscar. A dupla é responsável pelo trabalho de maquiagem do filme A Voz Suprema do Blues.

Esnobados da categoria de Melhor Filme

Destaques por indicações em outras categorias, Destacamento Blood, A Voz Suprema do Blues, Uma Noite em Miami…, que receberam nomeações na categoria de Melhor Filme no PDG (prêmio do Sindicato de Produtores), não apareceram na disputa pela principal estatueta do Oscar. A não indicações deste filmes também surpreende, pois em outras premiações eles figuravam na lista da categoria principal.

Viola Davis e as mulheres negras na categoria de Melhor Atriz

Viola Davis em cena de A Voz Suprema do Blues | Crédito: Netflix

Vencedora do Oscar de Melhor Atriz por Um Limite Entre Nós, Viola Davis é a atriz negra com maior número de indicações na história da premiação (quatro no total) e a primeira a ter duas nomeações na categoria principal de atuação feminina. Além disso, essa é a segunda vez, em 93 anos, que a sessão de Melhor Atriz recebe a indicação de duas mulheres negras em uma mesma edição. O feito é alcançado graças a indicação de Andra Day pelo filme Estados Unidos vs Billie Holiday. Até então, isso havia acontecido somente em 1973, com Diana Ross e Cicely Tyson nomeadas.

Mais esnobados

Delroy Lindo e Jodie Foster ficaram de fora do Oscar 2021. Com atuações elogiadas, os atores ficaram de fora da lista final. Foster venceu o Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante pelo filme The Mauritanian, mas a última vez que ela recebeu uma nomeação ao Oscar foi em 1995. Enquanto Delroy Lindo, que teve uma atuação elogiada em Destacamento Blood, não recebeu destaque durante a temporada de premiações. Havia expectativa para a indicação da jovem atriz Helena Zengel, pelo filme Relatos do Mundo e para a comédia Borat: Fita de Cinema Seguinte.

Melhor Filme Internacional e a primeiras indicações de Romênia e Tunísia na categoria

Agora intitulada de Melhor Filme Internacional, a categoria recebeu pela primeira vez na história filmes da Romênia e Tunísia entre os indicados. O romeno Collective ainda foi indicado como Melhor Documentário, enquanto o representante tunisiano The Man Who Sold His Skin ficou apenas em Filme Internacional.

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 6º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.