Cena do trailer de Raia 4 | Imagem: Captura de Tela / YouTube

Vencedor dos prêmios Júri da Crítica, Fotografia (por Edu Rabin) e Melhor longa gaúcho no Festival de Cinema de Gramado em 2019, Raia 4 teve a sua data de estreia revelada. A Boulevard Filmes confirmou que o filme chegará aos cinemas brasileiros, que estiverem em funcionamento, no dia 06 de maio e em plataformas digitais (NOW, Google Play, Apple Tv, iTunes e Youtube Filmes) no dia 20 do mesmo mês.

No filme, a jovem nadadora Amanda encontra nas águas das piscinas um refúgio onde seus segredos não podem ser ouvidos. A pré-adolescente vive um conflito com os pais enquanto as pressões do esporte e da vida se acumulam. No meio de tudo isso, Amanda conhece Priscila, uma colega na equipe de nado.

Raia 4 marca a estreia de Emiliano Cunha na direção de longa-metragem. A história que acompanha o mundo competitivo da natação em Porto Alegre (RS) está muito próxima da vida do cineasta. “Trata-se de um esporte que faz parte de mim, cresci nele e ainda o pratico. Os ritmos, os personagens, os espaços e suas especificidades estão muito vivos em mim”, contou Emiliano. A ideia para o filme se originou em uma cena gravada em 2013, que registra os movimentos da água e do sangue.

O drama foi filmado durante a época de calor da capital gaúcha, sendo um dos principais desafios da produção. “Apesar das dificuldades, todos ficávamos muito empolgados a cada novo plano difícil. Aprendemos e nos divertimos muito no processo”, disse o diretor. Raia 4 conta com um casting com mais de 100 atletas, incluindo Brídia Moni e Kethelen Guadagnini que interpretam a dupla de protagonistas.

Bastidores de Raia 4 | Imagem: Reprodução/Instagram

“Sabia, desde o início do projeto, que queria trabalhar com nadadores de verdade”, explicou o cineasta. Para Emiliano, seria difícil treinar jovens atrizes como nadadoras “com toda a performance física que a natação competitiva exige”. Sobre isso, ele explica: “não é uma questão de atuação, mas de comportamento e fisicalidade que é quase impossível emular”.

Para a relação das protagonistas, uma curiosidade fez a diferença. Brídia Moni e Kethelen Guadagnini se conheciam antes de trabalharem no projeto. As duas eram amigas e colegas de nado. Por isso, o diretor precisou desenvolver uma camada de antagonismo na dupla. “Eu bato na tecla do ‘aparente antagonismo’, pois creio que a relação entre as personagens, no filme, ultrapassa essa dialética. E, a princípio, estava disposto a trabalhar mais com situações e provocar improvisações”, afirmou Emiliano Cunha. O cineasta também ressaltou que as estreantes na atuação se mostraram aptas para viver as personagens em união com a performance esportiva.

Lançamento durante a pandemia

A pandemia do novo coronavírus afetou o lançamento de filmes no mundo todo. Inúmeros longas-metragens com suas estreias marcadas para o ano passado ainda não chegaram aos cinemas ou plataformas digitais. A Covid-19 também atrapalhou os planos de Raia 4. “Desde o início, a intenção era de fazer um bom lançamento comercial em diversas salas do país”, contou Emiliano Cunha com exclusividade para a Matinê Cine&TV.

Defensor do isolamento social, o cineasta afirmou que a ideia ainda é de fazer um lançamento comercial nas salas que estiverem disponíveis, de acordo com as possibilidades de segurança e com a situação da pandemia no país. “É triste, mas faz parte da realidade e eu sou absolutamente a favor das medidas de isolamento social”, disse Emiliano.

Antes da pandemia, a ideia era fazer uma sessão de lançamento especial em Porto Alegre. O local escolhido seria a tradicional Cinemateca Capitólio, local importante para a cultura gaúcha que está fechado há mais de um ano por causa da Covid-19. “Eu tenho uma relação muito afetiva com o Capitólio”, disse o diretor para a Matinê. Cunha ainda afirmou que Raia 4 é um filme de grande apelo visual e sonoro, algo que contribuiria muito para a experiência do público nas salas de cinema.

Segundo o cineasta, após a exibição nos cinemas, que começa no dia 06 de maio, Raia 4 terá transmissão no Canal Brasil, além de entrar nos catálogos digitais do NOW, Google Play, Apple Tv/iTunes e Youtube Filmes a partir do dia 20 de mesmo mês. “Eu fico muito feliz que ele (filme) vai chegar em muitas pessoas, não tenho dúvida do poder do streaming”, disse Emiliano.

O diretor afirmou, por fim, que existem planos de tentar um relançamento de Raia 4 nos cinemas locais de Porto Alegre em 2022 – imaginando um cenário melhor em relação a pandemia. Segundo ele, a experiência da sala de cinema não pode ser substituída. Por isso, levar o longa-metragem de volta às telas é também uma forma de homenagear o público cinéfilo que está afastado dos locais exibidores há tanto tempo.

Realizador dos curtas-metragens “Tomou café e esperou” (2013), “Sob águas claras e inocentes” (2016) e de episódios da série “A Bênção” (2020), Emiliano Cunha assina, além da direção, o roteiro de Raia 4. Ele também produz, pela Ausgang, ao lado Davi de Oliveira Pinheiro e Pedro Guindani. O elenco ainda traz José Henrique Ligabue (Legalidade), Fernanda Chicolet e Rafael Sieg (Cidade Invisível, Disforia).

Assista ao trailer de Raia 4

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 6º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.