Imagem do documentário América Armada | Crédito: Divulgação / Pablo Baião

No próximo dia 25, em um domingo, a Globo News fará uma exibição, às 23h, do documentário América Armada. Dirigido por Pedro Asbeg e Alice Lanari, o longa-metragem de não ficção acompanha três ativistas, um do Brasil e os outros de Colômbia e México.

Em cartaz no Now, Vivo Play e Oi Play, América Armada mostra o cenário de quem decide enfrentar a violência armada. Raull Santiago nasceu e cresceu no Complexo de Alemão e faz parte do Coletivo Papo Reto. Com o celular na mão, ele faz lives que mostram abusos policiais na comunidade.

Em Medellín na Colômbia, Teresita Gaviria perdeu o filho há 18 anos e é militante do grupo Madres de La Candelária, que reúne mulheres na mesma situação. Heriberto Paredes, jornalista mexicano, foi ameaçado de morte em Michoacán onde acompanha grupos de autodefesa compostos por indígenas. A luta deles é para defender seus territórios e suas vidas contra o narcotráfico. Essas são as três histórias que guiam o documentário de Asbeg e Lanari.

Filmado em 2017, América Armada traz reflexões sociais sobre a violência armada, sobretudo em tempos em que o porte e uso de armas torna-se cada vez mais fácil no Brasil. Antes do período de gravações, a equipe de produção visitou os lugares retratados no longa, e precisou construir uma relação de confiança com os ativistas. Sem interferir nos acontecimentos e com um time reduzido, o documentário registra a rotina dos três ativistas e mostra as realidades das suas lutas.

Imagem do documentário América Armada | Crédito: Divulgação / Pablo Baião

Alice Lanari, que dirige o documentário, disse em comunicado enviado à imprensa que o “América Armada nos ajudou a compreender o fenômeno que estamos vivendo no Brasil – de militarização da sociedade civil”. Segundo ela, o problema da indústria bélica está “intrinsecamente ligado” ao que acontece nos países da América Latina.

A intenção de América Armada é de iluminar esses acontecimentos e movimentos sociais. Fatos, esses, que muitas vezes acabam sendo velados por quem lucra com isso. “[O documentário] levanta um debate sobre a livre circulação de armas, sobre os lucros absurdos da indústria bélica”, afirmou Pedro Asbeg. De acordo com o diretor, é “um momento em que vivemos um processo político e social favorável ao porte e uso de arma por civis”, afirmou o documentarista Pedro Asbeg.

América Armada teve a sua primeira exibição no 51º Festival de Brasília no hors concours durante a noite de encerramento. Desde então passou por outros festivais no México, Estados Unidos, França, Espanha, Etiópia e outros países. O documentário também recebeu os prêmios de Melhor Filme Júri Popular e Melhor Roteiro no 42º Guarnicé de Cinema.

Assista ao trailer de América Armada

América Armada já está disponível no Now, Vivo Play e Oi Play, e no dia 25 de abril, em um domingo, será exibido no canal Globo News às 23h.

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 6º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.