Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Setembro trouxe ótimas surpresas para os fãs de séries. Essa semana tivemos a volta de Lucifer, e esse início de temporada não teve novidades chocantes, mas foi um ótimo episódio e deixou algumas questões interessantes no ar.

O uso de diálogos cômicos para falar sobre morte e os grandes mistérios do céu e do inferno já são uma característica marcante da série e Everything’s Coming Up Lucifer demonstra muito bem isso. Com a chegada de uma nova integrante na equipe do departamento de homicídios de Los Angeles temos um reforço no quesito comédia da trama. O nome dela é Ella, uma legista bem peculiar que já causou uma ótima impressão em seu primeiro caso, além de ter ótimas frases de efeito.

A mãe de Lucifer fugiu do inferno e pelo comportamento assustado do anjo caído, imagino que ela seja uma criatura cruel e vingativa, que fará de tudo para se vingar do filho. Durante o desenvolvimento do episódio fiquei em dúvida sobre a gravidade desse perigo, chegando a considerar uma certa paranoia, agravada pela relação má resolvida de mãe e filho. Gosto dessa jogada de problemas familiares, um certo tipo de humanização dos seres “divinos”, todo mundo têm segredos de família, o que diferencia cada um deles é a origem dessa família.

Os problemas estão só começando, pois mesmo com todos os perigos sobrenaturais, os humanos também não estão dando folga. Com mais um assassinato para ser resolvido, Lucifer se envolverá em situações bastante constrangedoras e hilárias, provando à todos que temos nossos próprios demônios.

Enquanto isso, Amenadiel parece estar colhendo as consequências dos seus atos. O anjo ainda continua se metendo na vida do irmão e isso acabou levando-o a tomar escolhas erradas e desesperadas. Será que dormir com um demônio e usar humanos para serviços sujos interferiu na sua divindade? Parece que seus “poderes” perderam a força e ele terá que aprender a ser mais humano. Fico ansiosa para ver essa transição, já que, para um anjo, ele aparenta muita indiferença em relação a humanidade.

Além dos novos problemas, os antigos dilemas da 1° temporada ainda atormentam a detetive Decker. Mesmo com todas as tentativas de Lucifer em fazê-la acreditar em sua origem diabólica, a moça não consegue se livrar das dúvidas e do medo em saber a verdade. Mas parece que a ideia de trabalhar com o diabo não é mais tão absurda assim, e durante esse episódio vemos que somos seres cheios de contradições, e as vezes precisamos duvidar para poder acreditar. Sim, somos complexos porque somos humanos!

Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Lucifer é aquela série que erra em repetir com frequência os acertos, mesmo assim você continua querendo assistir. Acredito que seja exatamente por discutir sobre a humanidade e suas crenças de forma leve e cômica. Além que, Tom Ellis, é tão perfeito para o papel que as vezes é difícil não gostar de sua atuação. Aplaudo os roteiristas e diretores, por aproveitarem tão bem os talentos do ator. Os momentos que ele usa sua voz é emocionante, a interpretação das músicas é de tirar o fôlego e dá um ar todo especial para trama. Como toda adaptação têm seus erros e acertos, e por enquanto, ainda têm muita coisa boa a oferecer.

E agora pergunto: por que Chloe deixa Lucifer tão enfraquecido? Até onde vai a ligação desses dois? Que venha romance nessa temporada, por favor!

Avaliação

[yasr_overall_rating size=”medium”]

COMPARTILHAR
Estudante de Pedagogia, apaixonada por livros, filmes e séries que envolvam muito mistério, romance e ficção. Na sua lista de favoritos estão: Supernatural, Criminal Minds, Once Upon a Time, Bones e Scream. Sempre em busca de novas aventuras e emoções, o que significa que essa lista ainda vai crescer, e muito!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here