Com um roteiro totalmente bagunçado e sem um objetivo definido, A Última Ressaca do Ano tenta antecipar as festividades do final de ano. A comédia tem um elenco conhecido, mas a maioria dos atores não está no ápice de suas carreiras – principalmente Jennifer Aniston (da série Friends), que faz a vilã da história.

Inicialmente a proposta até parece interessante em ter uma empresa fazendo uma festa de natal fora dos padrões das repartições. O problema é quando o roteiro começa a ser desenvolvido os objetivos e intenções da história mudam a cada vinte minutos. Com isso, a festa de natal passou a se tornar uma grande bola de neve, incrementada por subtramas pessoais de personagens secundários.

Para uma comédia com essa proposta – remetendo ao formato de séries da TV americanas, que não se preocupam com a coerência da trama – o filme fica sem graça por não trazer nenhuma novidade na montagem – regada a músicas conhecidas e cenas em câmera lenta nada divertidas. A todo momento era visível uma apelação ao estilo besteirol (que ia de um pum até as tradicionais piadas sexuais) para tentar agradar ao público, e poucas cenas conseguem ser eficientes ao fazer rir e divertir.

A história tenta criar soluções absurdas ao inserir uma cafetina e sua prostituta, para provar que seus personagens secundários também existem. O formato da comédia tenta ser moderno ao mesmo tempo em que traz as minorias como clichês (o indiano chefe de TI, a secretária reprimida, o oriental na contabilidade, entre outros). Em suma, nada de inovador acontece no longa, muito menos na sua narrativa comum.

Com a exceção da talentosa Kate McKinnon (Caça-Fantasmas) e do versátil Courtney B. Vance (da série American Crime Story), que tem boas variações na atuação, o restante do elenco se mostra bastante fraco. Jennifer Aniston evidência que vai de mal a pior na carreira, desandando ainda mais a cada ano. A dupla de protagonistas interpretados por Jason Bateman e T.J. Miller estão apenas reprisando papéis e atuações anteriores.

Por fim, como o título já afirma, esta é A Última Ressaca do Ano, se houvesse outra não seria uma comédia, e sim uma tragédia. Will Speck e Josh Gordon (do fraco Coincidências do Amor) misturam diversos conceitos e não encontram nenhum objetivo na história, finalizando-a com mais um clichê que não funciona.

Avaliação

[yasr_overall_rating size=”medium”]

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 4º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.