[Review] Gotham – 2×03 – The Last Laugh

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Arquivo Pessoal/Matheus Machado
Imagem: Arquivo Pessoal/Matheus Machado

Antes de iniciarmos a análise tenho que admitir que a referência do mágico, que foi sendo trabalhada por quase todo o episódio, foi muito boa. Não tinha como não saber que o mágico seria Jerome. Coringa. Mas ainda assim vamos falar Jerome porque para ele ser o Coringa…. aí é outra conversa.

O começo de The Last Laugh não foi nada além do que já se esperava. Jim Gordon e Bullock foram as ruas para recolher informações sobre a invasão ao GCPD, e obviamente não obtiveram o resultado desejado. Mesmo que nenhum comissário tenha sido nomeado acredito que o Jim está meio que assumindo o posto aos poucos, ou não. O Bullock foi um grande reforço, mas mesmo assim precisa mostrar serviço. Mesmo que no final do episódio ele tenha intimidade, levemente, Oswald.

Nesse episódio também ficou mais claro os planos de Theo Galavan, que acredita ser o dono de Gotham por direito, ou por uma herança que ele inventou quando estava dormindo. Fora isso também não seria nenhuma novidade o envolvimento de Tabitha com a Barbara, e também não era surpresa surgir algo entre ela e o Theo. Estou curioso para saber mais sobre aquele gás azul e o que acontecerá com o Harvey depois de respirar aquilo quando acharam o corpo do pai do Jerome.

Falando em Jerome… com tudo que sabe sobre a temporada, com o título Rise of the Villains ninguém precisa se desesperar, certamente ele não morreu. Aliás, acho que o grande show dele ainda não aconteceu. A pergunta é: Quando? Aguardem para saber mais.

Imagem: Arquivo Pessoal/Matheus Machado
Imagem: Arquivo Pessoal/Matheus Machado

Em reviews anteriores eu havia falado muito na insanidade e brutalidade do Jerome, e especulei até onde ele poderia chegar. Depois de assassinar o próprio pai alguém aí ainda tem alguma dúvida do quão louco ele possa ser? Eu não. Foi bem tenso a maneira que ele fez tudo aquilo e me surpreendi quando mostraram o rosto do velho com a faca cravada no olho. Eu achava que isso ia ficar na imaginação.

Sobre o espetáculo do mágico. Eu esperava mais dessas cenas, mesmo sabendo que seria um teatrinho medonho planejado pelo Theo. Não foi surpresa ele cravar a faca no pescoço do Jerome. O detalhe que comprova que ele não vai morrer é a maneira que a faca foi enfiada. Quando o objeto foi retirado do pescoço do vilão deu para perceber nitidamente que a faca não entrou no sentido da garganta. Ela penetrou como se fosse na lateral, apenas levantando a pele. Por mais provável que seja o Theo querer matar ele, não podemos esquecer que ainda assim era tudo um teatro.

Por fim, e o Alfred dando uma bela trovada na Lee Thompkins? Eu já tinha notado um assanhamento dele com o Lucius Fox, lógico que não era nesse sentido, mas nossa foi muito engraçado ele cantando ela. Ainda mais na frente do Jim. E o “Kiss me” foi bem fofo, nas duas ocasiões.

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
,

Comentários

Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek, Star Wars, Marvel, DC Comics. Na TV The Walking Dead, Shameless, Jessica Jones, The Handmaid’s Tale, entre outras, são algumas das suas favoritas.

Você Também Pode Curtir