[Review] Outlander – 2×03 – Useful Occupations and Deceptions

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Outlander Brasil
Imagem: Outlander Brasil

Eu apenas amo vê-lo feliz.

A cada dia que passa na França a tensão entre Jamie e Claire parece aumentar. Talvez pelo distanciamento provocado pela rotina de ambos, onde Jamie não encontra tempo para dormir ao lado de sua esposa por andar mais ocupado do nunca em reuniões secretas no bordel com o Príncipe Charles Stuart, ora dirigindo os negócios de bebidas de seu primo Jared, ou encontrando-se com o ministro das finanças, o Monsieur Duverney. Na outra ponta Claire passa os dias tentando se integrar à vida social das damas parisienses, mas sente-se entediada e insatisfeita porque para uma mulher ativa, independente e acostumada a “arregaçar as mangas” sempre que necessário, essa mudança de ares combinada com a ausência de seu marido, que não está fazendo nada bem para ela.

Em mais um encontro com Louise e Mary Hawkins regado a chá, Claire finalmente recorda-se onde havia escutado o nome de Mary: em uma lembrança com Frank em 1945, em que ele mostra a sua árvore genealógica a Claire. Assim ela descobre que Mary é uma antepassada de Frank e que irá casar-se com Black Jack Randall. A revelação chega como uma bomba para ela, pois para que Frank possa algum dia existir, Black Jack terá que permanecer vivo até casar-se com Mary Hawkins.

Visivelmente abalada com a descoberta feita, ela retorna a sua casa procurando por sua empregada Suzette e a encontra na cama com Murtagh. Percebendo a irritação de Claire, Murtagh ao conversar com ela acaba descobrindo que Black Jack não morreu, informação essa dada por seu irmão mais novo que é o secretário do Duque de Sandringham. Já havia comentado em outra ocasião como estava amando esse Murtagh mais participativo, com humor ácido, pegador e agora confidente de Claire, pois a escuta e a aconselha a não contar nada a Jamie.

Claire visita Mestre Raymond e tem um encontro rápido com o perigoso e belo Conde de St. Germain, enquanto espera que o preparado de ervas fique pronto, Mestre Raymond repara no ar insatisfeito de Claire e então, ele fala sobre o L´Hôpital des Anges onde ela poderá fazer aquilo que faz melhor: usar as suas habilidades para ajudar as pessoas. Murtagh prevê que Jamie não irá gostar que sua esposa grávida trabalhe junto a pessoas infestadas por doenças. Claire não dá muita atenção e começa a trabalhar no hospital, conhece Madre Hildegarde que percebe o talento genuíno dela como curandeira e assim começa uma parceria de admiração e aprendizado mútuo.

Enquanto isso, Jamie joga xadrez com Monsieur Duverney mostrando a sua habilidade no jogo e tentando convencer o ministro a dizer ao Príncipe Charles Stuart que a França não tem interesse em participar dessa guerra. Para isso, Jamie leva o ministro das finanças para se encontrar com Charles Stuart no bordel. Charles surpreende ao afirmar ter conseguido uma boa soma de dinheiro de simpatizantes ingleses católicos e propõe uma aliança com a França se os franceses o apoiarem e Duverney concorda em falar com o rei sobre esse assunto.

Jamie preocupado volta para casa à procura de Claire para colocá-la a par das novidades, mas não a encontra em casa e conforme o tempo vai passando e ela demora em retornar, ele vai da impaciência a irritação e é interessante ver como a ausência da sua parceira e cúmplice o deixa perdido e impotente. Eis que Claire retorna com Murtagh toda feliz e radiante com a sua experiência no hospital lancetando bolhas, trocando curativos sujos, vendo o seu primeiro caso de escrófula escurecida (que é uma inflamação do gânglio linfático) e experimentando urina para elucidar um caso de diabetes. Nesse momento toda a irritação e frustração de Jamie chega ao nível máximo e eles discutem. Claire diz que precisa desse tempo no hospital para se sentir útil e realizada, mas eles não conseguem se acertar.

Irritado, Jamie, retorna ao bordel para beber e presta atenção em um menino que trabalha no local e que está roubando os clientes sem que ninguém perceba. Jamie o aborda e o contrata para trabalhar com ele interceptando e roubando cartas que o Príncipe Charles recebe e envia para ficar a par de tudo o que o príncipe não lhe conta. Eu simplesmente adorei o fofo e querido Fergus, a presença de uma criança traz muita alegria a um lar e com certeza fará muito bem a Claire e Jamie.

Imagem: Outlander Brasil
Imagem: Outlander Brasil

Passa o tempo com Claire em sua rotina no hospital, Fergus fazendo o seu trabalho com a ajuda de Murtagh e Jamie com sua rotina no bordel, nos negócios, lendo e copiando as cartas roubadas até encontrar uma que está escrita com um código musical. Jamie acaba tendo que solicitar a ajuda de Claire e da Madre Hildegarde que revela talento para a música, assim consegue decodificar a mensagem, mostrando que o Príncipe Charles realmente tem o apoio dos ingleses, mas que mentiu quanto a quantidade de dinheiro oferecida. A carta é assinada com um “S” e Claire e Jamie notam que só pode ser do Duque de Sandringham.

Jamie decide que irá falar com o Duque para impedir que este faça o empréstimo para Charles e feliz por finalmente descobrir algo importante decide comemorar a esse avanço em seus planos . Murtagh lembra a Claire que se ele conversar com o Duque vai acabar descobrindo sobre Black Jack e que ela precisa contar, mas quando ela vê Jamie tão feliz não tem coragem de acabar com esse momento.

Eu gostei desse episódio e entendo que a rotina com todas as ocupações úteis e trapaças façam a relação de Jamie e Claire ficar entendiante, mas não concordo com a forma que Jamie está sendo apresentado na série, é claro que ele sofreu violências físicas e psicológicas, mas Jamie sempre mostrou-se apaixonado, gentil e carinhoso com Claire e foi o amor de Claire que o curou. Sinto falta da cumplicidade, parceria e principalmente deles como amantes. Espero que como nos livros, Jamie e Claire, encontrem o caminho para se reconectarem. Claire continua com um difícil dilema pela frente: contar ou não sobre Black Jack. Outlander continua sendo uma série maravilhosa e caminha para uma trama mais densa e cheia de reviravoltas; e como bem disse Claire: “Eu apenas amo vê-los felizes!

Out¹.: Tenho que falar do espetacular vestuário da série (Claire e Jamie estão lindos e confesso que desejo muitas roupas de nossa heroína), cenários lindos e a ótima escolha do elenco (com salvas de palmas ao cachorrinho Bouton).

Out².: Impressionante que com os hormônios explodindo, a falta de seu marido em sua cama e entendiada, Claire consiga pensar em controle de natalidade e dar conselhos matrimoniais a tatatatatataravó de Frank. (Crédito a Aline Carvalho pelo comentário hilário sobre a vida sexual de Mary).

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Educadora, apaixonada por livros, séries e filmes. Gostaria muito de encontrar um portal e assim poder viajar no tempo por diversos lugares e épocas. Como ainda não achei viajo através das histórias dos vários personagens que encontro nesse universo maravilhoso e mágico de versos, rimas e letras.

Você também pode gostar

Comments are closed.