[Review] Outlander – 2×09 – Je Suis Prest

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Outlander Livros e Série Brasil
Imagem: Outlander Livros e Série Brasil

“Um homem que luta pela suas crenças vale por dez que são forçados a lutar pelas crenças de outra pessoa.”

Je Suis Prest ou “Eu estou pronto” é o lema do clã de James Fraser, mas com certeza não há como alguém estar pronto para as emoções que virão pela frente em Outlander. E é só pensar que só restam quatro episódios para o final desta temporada…

Depois de Jamie ter conseguido o apoio de seu primo Simon, ele juntou-se com os homens de seu avô, Lorde Lovat, para lutar com ele na guerra. Encontramos Jamie e Claire viajando em direção a Crieff, para unir forças com Murtagh e os Frasers de Lallybroch. Durante o caminho muitos homens desertaram por se ressentirem a deixar suas famílias e suas terras. Então, Simon foi enviado para convencê-los a retornar com a promessa de que receberiam terras quando a guerra acabasse e dessa forma eles teriam algo pelo que lutar ou morrer. Já os que ficaram não eram exatamente soldados e não estavam prontos para a batalha. E mesmo com Colum Mackenzie optando pela neutralidade frente à guerra que se aproxima, o seu irmão Dougal juntamente com Rupert e Angus juntam-se a Jamie. Ah, e foi ótimo ver todos juntos novamente.

Enquanto Murtagh está se empenhando em ser o melhor sargento de Jamie, ele está ensinando, com o seu “jeitinho sutil”, a terem disciplina e obedecerem as ordens de comando. Só que esse não é um trabalho fácil, pois os homens,  na verdade, eram apenas colonos, ferreiros e arrendatários, que jamais haviam empunhado uma espada ou lutado.

Claire começa a ter pequenos flashbacks de quando ela participou da Grande Guerra no século XX e quando ela vê Fergus jogando com alguns homens no acampamento, ela tem uma lembrança de jovens soldados jogando basebol. Claire então retira Fergus dali, como se com esse ato pudesse protegê-lo das ameaças que a guerra trará.

Os treinamentos continuam com Jamie, Murtagh e Dougal ensinando as artes do combate e disciplinando os homens. Todo o acampamento está trabalhando e se preparando para a guerra que está por vir, forjando armas e preparando a munição. Dougal mostra-se ansioso em juntar-se logo ao Príncipe Charles, mas tanto Jamie como Murtagh garantem que os homens não estão prontos para o combate. O tio de Jamie, Dougal, diz que como Jamie conhece o Príncipe Charles pode conseguir um lugar no seu conselho privado, no entanto Jamie diz que há problemas maiores do que ocupar um lugar à mesa de Charles e que eles só irão ao encontro do príncipe quando os homens estiverem bem disciplinados e treinados.

Claire continua a ter os pequenos flashbacks que vão se misturando com a rotina do acampamento. Ela se recorda de dois jovens soldados americanos, Caleb Grant e Max Lucas, que tornam-se seus amigos. Jamie percebe esse comportamento estranho de Claire e a questiona sobre isso, mas ela diz que está bem e que tem muitas coisas para fazer. Quando o broche de Jamie cai ela vê a inscrição: Je Suis Priest. Isso a faz lembrar do símbolo da força área americana. Jamie a olha e pede desculpa por levá-la com ele até ali, diz que quer que ela saiba que aconteça o que tiver de acontecer, eles irão passar por isso e que ela ficará segura. Claire diz que realmente está bem, mas tanto Jamie como nós sabemos que isso não é verdade.

No acampamento o treinamento continua e Jamie faz um discurso motivador aos homens dizendo que também já havia pensado que era uma tolice perder tempo treinando porque não há razão para aprender a lutar contra os ingleses, afinal eles são homens escoceses, corajosos, fortes e que têm Deus ao lado deles. Pensando assim, ele foi para a França e se tornou um soldado, viu o que um exército bem treinado pode fazer, como é bonito ver um exército marchando junto, porém quando eles disparam e uma linha inteira de homens levantam os seus mosquetes e por fim os deixam cair. Quando as balas vão rasgando através do campo e cortando os homens à direita e à esquerda sem dó nenhuma. E foi aí que ele percebeu que para vencer um exército é preciso ter mais do que coragem, é necessário ter disciplina, treinamento e um exército com soldados preparados.

Quando Jamie finalmente havia conseguido motivar os homens com o seu discurso, eis que surge Dougal e seus companheiros correndo como bárbaros e atrapalhando a formação dos homens, dizendo que é assim que deve ser um ataque Highlander pegando os ingleses de surpresa e colocando o terror em seus corações.

Jamie dispensa os seus homens e vai falar com seu tio, Dougal diz que entende que Jamie está tentando fazer o melhor, mas que ele tem mais experiência. Jamie afirma que aqueles são os seus homens e o seu clã, que ele sabe o que vai acontecer, como treiná-los e que somente responderão a ele e a mais ninguém. Diz que o está tolerando por ele ser o seu tio e respeitá-lo, mas se ele quiser lutar com o clã Fraser terá que respeitar as suas ordens ou então, seguir o seu caminho.

Dougal vai falar com Claire e pede que ela fale com Jamie para que aceite a ajuda dele. Ela diz que Dougal é um narcisista e que o seu ego só está atrás da realização dos seus desejos, que ele quer que o Rei James  volte ao trono, mas não por patriotismo ou pela Escócia, mas por seu próprio egoísmo. Dougal concorda com Claire, quando ela diz que ele ama o seu próprio reflexo, mas garante que ama mais a Escócia e que daria tudo o que tem para ver um Stuart de volta ao trono. Amei a Claire enfrentando Dougal e o colocando no seu lugar.

Jamie comenta com Murtagh como o comportamento de Claire tem estado estranho ultimamente, pois vive alternando o seu humor, onde um dia parece estar bem e no outro parece que está sem vida. Murtagh fala que Claire é uma pessoa transparente, que não consegue esconder nada e será necessário mais do que perguntas para descobrir o que ela esconde. Olha, esse Murtagh dessa segunda temporada está sendo uma ótima surpresa, porque ele já foi babá de Fergus, o pegador das empregadas, assaltante de carga de vinho, confidente da Claire, oficial de treinamento e agora conselheiro amoroso.

Dougal chega ao acampamento com novos recrutas e Jamie pergunta como ele passou pela segurança, e ele diz que só acenou e passou. Jamie pede a Murtagh que traga quem estava de guarda e diz que eles serão punidos por colocarem todo o acampamento em perigo com a negligência deles. Dougal insiste que ele trouxe voluntários e Jamie pergunta aos homens se eles estão preparados para sangrar, deixar as suas famílias e suas casas por meses ou talvez anos. Reforça que ele é o comandante daquele exército e que se eles desejarem partir ninguém vai pensar mal deles ou provocar algum dano; e todos vão embora. Jamie ordena que Dougal e seus homens passem a se encarregar da segurança do acampamento a partir daquele momento.

Imagem: Outlander Livros e Série Brasil
Imagem: Outlander Livros e Série Brasil

Conforme Claire convive com o ambiente de guerra, ela continua a apresentar sinais de estresse pós-traumático e em mais um flashback se recorda do momento em que estava junto com seus amigos, soldados americanos, e durante a noite o carro deles é atacado. Claire sobrevive ao ataque escondida sozinha em uma vala, mas é forçada a ouvir os dois jovens morrerem sem poder ajudá-los. Jamie percebe que ela não está bem e está tendo um ataque de pânico, Claire conta tudo o que aconteceu com ela para Jamie. Ela diz que até aquele momento ela nunca mais havia pensado naquilo, mas com a guerra se aproximando, com pessoas que ela conhece, ama, que vão lutar e possivelmente vão morrer. Jamie diz que ela deve voltar para Lallybroch, onde estaria em segurança, mas Claire recusa porque para ela seria ainda pior ficar longe, sem poder ajudar e sozinha. Jamie promete que ela jamais voltará a ficar sozinha novamente, mas já vimos no primeiro episódio que não será bem assim, infelizmente.

Jamie é atacado por um jovem soldado inglês, William Grey, que não tem muito sucesso devido a sua inexperiência. O jovem é interrogado por Jamie, que tenta tirar informações sobre o exército inglês, mas William se mostra irredutível e pronto para morrer sem dizer nada. Claire então percebe o que está acontecendo e se faz passar por uma prisioneira inglesa, acusando Jamie de ser um bárbaro atrás de sua virtude. Como sempre o nosso casal trabalha muito bem juntos e Jamie entra na encenação, dizendo que irá violentá-la, a segura, a beija com violência, levanta as suas saias passando as mãos pelo seu corpo e afirma que depois os seus homens também irão violentá-la. Para defender a honra da dama, o jovem Grey concorda em contar tudo o que sabe desde que deixe a senhora em paz. Jamie diz a seus homens que deixem o jovem soldado amarrado em uma árvore próxima do acampamento inglês, mas antes de ir o jovem Grey diz a Jamie que deve a sua vida a ele, que preferia que não fosse assim e que tem uma dívida de honra que espera poder pagar no futuro; e feito isso, ele irá matá-lo. Jamie diz que espera nunca mais voltar a encontrá-lo e o jovem despede-se dizendo que um Grey nunca esquece uma obrigação.

Jamie reúne os homens e fala sobre a negligência que quase provocou uma morte, pergunta quem era o responsável pela guarda e Dougal diz ser ele, já preparando-se para a punição, mas Jamie diz que foi por causa da sua fogueira que o jovem inglês viu o acampamento e por isso ele merece ser punido, recebendo na frente de todos o seu castigo.

Depois disso Jamie e seus homens usam a informação dada pelo jovem Grey para se infiltrarem no acampamento inglês e sabotar as carroças que levavam os canhões ingleses. E logo depois junto com Claire e seu exército, agora treinado, eles partem ao encontro do Príncipe Charles e da guerra que se aproxima.

Esse episódio foi maravilhoso e nos trouxe o guerreiro de volta, o líder e comandante honrado, trouxe Jamie sendo Jamie. Foi interessante de ver também Dougal muito bem descrito por Claire, como um ser narcisista que não consegue acatar ordens e ainda ter de ver o seu sobrinho como o comandante do seu clã se impondo e conquistando o respeito de seus homens. Foi ótimo colocarem como seria para Claire retornar a uma guerra novamente e ter que passar por toda a destruição, traumas e ver o quanto aqueles homens estavam despreparados para o que a guerra traria. E mais uma vez digo que Claire é uma das personagens mais fortes tanto da literatura como da TV, pois mesmo quando mostra as suas fragilidades, ela consegue impor a sua coragem de leoa a frente de todos os seus medos. É, a guerra está chegando e com ela muitas emoções e lágrimas. Tanto Jamie como Claire estão prontos, mesmo que eu jamais esteja.

OUT¹: Amo o Fergus com a Claire, mesmo achando que ele não deveria estar ali no meio da guerra, mas Outlander nunca foi normal e muito menos essa família Fraser.

OUT²: A trilha sonora está maravilhosa e combinando perfeitamente com as cenas do episódio.

OUT³: Como leitora da obra de Diana Gabaldon estava ansiosa pela introdução do jovem Grey e só tenho a dizer que eu também não o esquecerei Lorde John William Grey e o espero ansiosa na próxima temporada. Ah, e muito feliz pela Starz renovar a série para mais duas temporadas.

OUT4: Coitado do Jamie, pois teve que impor a sua liderança, teve que disciplinar seus homens, lidar com o seu tio mala, cuidar de uma Claire  traumatizada e nem um xixi em paz o pobre pode fazer.

Nota do autor para o episódio:
Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
, ,

Comentários

Educadora, apaixonada por livros, séries e filmes. Gostaria muito de encontrar um portal e assim poder viajar no tempo por diversos lugares e épocas. Como ainda não achei viajo através das histórias dos vários personagens que encontro nesse universo maravilhoso e mágico de versos, rimas e letras.

Você Também Pode Curtir