Crítica | Estrelas Além do Tempo

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
A Guerra Fria é o plano de fundo do filme, que traz momentos vergonhosos para a história da humanidade
Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures)
Imagem: Divulgação/ Fox Films

Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), traz a força de mulheres determinadas que precisam superar, com a cabeça erguida, uma época em que o machismo, o preconceito e a segregação racial determinada por lei nos Estados Unidos estava em um dos seus “grandes” momentos. O filme ainda mostra a disputa entre EUA e Rússia, na famosa corrida espacial em meio a Guerra Fria e suas conspirações de espionagem.

É vergonhoso, para a história humana, permitir a separação de raças em meio a sociedade. Uma biblioteca pública acaba se torando algo privado, onde além de ter as sessões normais (como “literatura estrangeira”, entre outras), havia também uma sessão exclusiva para negros – e estes não podiam pegar o livro que desejavam caso ele estivesse na área de brancos.Até mesmo os refeitórios da NASA eram divididos para pessoas “normais” e um “exclusivo” para negros – não só o local, mas o lanche também era diferente. “Aqui na NASA, todos urinamos na mesma cor“, diz Harrison, o personagem interpretado por Kevin Costner em uma resposta ao racismo e a segregação racial dentro da empresa.

As atitudes estabelecidas pelo próprio governo já eram vergonhosas por si só, mas também há aqueles que não se importavam com isso, passavam reto e se sentiam indiferentes com determinadas situações. O nó na garganta era visível nas personagens, e tal reação ultrapassa a película. O sentimento à essas atitudes é, obviamente, de revolta, mas o pior não é apenas saber destes acontecimentos, e sim saber que a história de Hidden Figures é baseada em fatos reais.

Katherine, interpretada pela ótima Taraji P. Henson, é o centro da história. Com a função de ser uma calculadora , é graças a ela que os EUA ganharam a corrida espacial da Rússia, o que foi crucial na Guerra Fria. Katherine G. Johnson foi homenageada no ano passado pelo ex-presidente americano, Barak Obama, pelo feito incrível que foi retratado no longa.

Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures)
Imagem: Divulgação/ Fox Films

A história é rica em detalhes, não apenas em mostrar a verdade nua e crua sobre o racismo e a segregação racial, mas também em mostrar a forma como os homens se incomodam em ter uma mulher mais inteligente do que qualquer um deles. Jim Persons (da série The Big Bang Theory) é o personagem que melhor simboliza isso. Na década de 1960 (e em alguns momentos, até hoje em dia) a mulher era tratada como incapaz, mesmo que mostrasse o contrário.

Octavia Spencer (Histórias Cruzadas) vive Dorothy Vaughn, a mulher que soube comandar as máquinas da IBM compradas pela NASA, quando os próprio técnicos da empresa não sabiam direito o que fazer com a aparelhagem. Dorothy lutou por espaço dentro da empresa, trabalhando como supervisora, mas não sendo reconhecida como tal. Assim como Mary Jackson (Janelle Monáe), que precisou pedir autorização judicial para se qualificar como engenheira dentro da companhia.

O roteiro acerta nos mínimos detalhes, principalmente naqueles que dão o enfoque da gravidade representada pela segregação racial. A cultura imposta na cabeça das pessoas também foi totalmente retratada no filme, não era uma questão apenas de racismo, mas a lei da segregação fazia com que os brancos pensassem “não queremos problemas“, como é dito em uma das cenas do filme.

Ainda assim, Estrelas Além do Tempo tem um visual aconchegante, com casas, decoração e figurinos dignos da época. Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe são as mulheres certas para os papéis do filme.

Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures)
Imagem: Imdb

Theodore Melfi dirige bem o longa, porém, o diretor não consegue dividir bem as três histórias que ali são retratadas. Todas elas são igualmente importantes em suas simbologias e conceitos, mas o fato histórico do lançamento da Friendship Seven é determinante no tempo de tela de cada personagem. A má divisão dos arcos não tira os méritos das atrizes e todo o elenco que consegue passar a dor e a felicidades de todos os acontecimentos da trama.

Estrelas Além do Tempo não traz apenas o lado ruim da humanidade, mas apresenta, também, momentos de ternura e amizade, que superam qualquer problema.

Baseado em histórias reais, Estrelas Além do Tempo proporciona uma mistura de sentimentos, desde a raiva e indignação ao orgulho e a admiração. O longa é uma obra dúbia, retrata ao mesmo tempo o patriotismo tradicional americano, o qual todos os estadunidenses sentem orgulho, mas destaca com ênfase os defeitos do próprio povo que deve se sentir envergonhado com tais acontecimentos. Hidden Figures é uma obra feita para refletir, e para que o mundo possa ver algumas verdades como elas realmente são (ou foram).

Avaliação

(Muito bom)

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Comentários

Editor-chefe e criador do Matinê Cine&TV é estudante de Jornalismo, leitor, cinéfilo e seriador. Declarado fã de Harry Potter e O Senhor dos Anéis, Matheus, adoraria viver um apocalipse zumbi em TWD, ou lutar contra os exércitos de Westeros em GoT, mas se contenta em assistir essas e outras dezenas de séries na vida real.

Você também pode gostar