Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Há um tempo atrás o protagonista de The Walking Dead, Andrew Lincoln, disse que o final dessa temporada será “sem rodeios e sem enrolação”. Essa é a minha opinião sobre o que vimos neste e nos episódios anteriores, uma série melhor do que vinha sendo, apresentando uma regularidade muito boa quanto à qualidade dos episódios.

Para um episódio que nos trouxe muita tensão e apreensão, o começo de Not Tomorrow Yet foi extremamente leve e descontraído com a Carol fazendo dezenas de biscoitos e entregando para os moradores de Alexandria. Destaque para o kiss dela com o Tobin, para quem ficava quietinho e parecia meio molenga ele foi bem espertinho.

Mas isso não se remete apenas a um lado mais leve, nós temos que ver esse tipo de cena com outros olhos, tal olhar deve perceber que não era apenas gentileza, mas sim um sentimento, ou desejo, de alguém que quer uma normalidade de volta para a sua vida, e quem sabe quer buscar uma paz interior ou sossego. Isso ficou bem evidente nas cenas em que a Carol apareceu, ela não quer mais confusão e muito menos problemas, mas o azar dela é que nesse episódio Rick, ela e o grupo todo acabaram arrumando o maior problema de suas vidas.

Ainda na onda dos romances, foi bacana de ver a conversa da Tara com Denise, onde ela dizia que amava a namorada. A personagem se martirizou um pouco durante a trama do episódio, mas isso porque sentiu o peso da lembrança daquele ataque do Governador a prisão, que resultou naqueles road episodes que tivemos até a chegada em Terminus. O mais legal disso tudo foi ela se confessando com o Padre Gabriel no carro, com a presença de Jesus. Falando no Padre, graças a deus ele está entrando em um novo rumo, uma nova fase da vida. No episódio vimos mais um avanço no crescimento desse personagem, que de Sr. do mi-mi-mi para um assassino que faz o que é preciso para salvar e ajudar seus amigos. A cena em que ele matou um dos membros dos Salvadores foi ótima.

Outro plot interessante foi a crise existencial de Gleen e Heath, que nunca tinham matado ninguém. O Gleen foi mais homem do que ele quando matou a sangue frio aqueles dois caras que estavam dormindo. Aliás, nessa cena tivemos um “easter egg” ou uma prévia do que está por vir. Na parede do quarto haviam fotos de cabeças esmagadas por algumas coisas, ou quem sabe um taco de basebol?! Eles podem não ter entendido isso na hora, mas a gente sabe o que significa.

Voltando um pouco na história, gente a cena das cabeças foi demais. Existe pessoa mais prática que o Rick? Ah o nariz dele é diferente, alguns socos depois e tudo está resolvido. Também tivemos o diálogo entre a Carol e a Maggie, que foi bem a cara do que citei no inicio da review, nada de mais, BUT, esse novo conceito da Carol está fazendo com que eu tema pela morte dela, sim pessoal, não vamos descartar essa possibilidade. Faz um tempinho já, mas soltaram um possível spoiler do 15º episódio dessa temporada onde… [SPOILER ALERT – QUEM QUISER LER SOBRE ISSO SINTA-SE A VONTADE, QUEM NÃO QUISER CORRA O RISCO]

Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

… foi revelada uma provável conversa entre Gleen e Daryl que dizia que agora era hora que ele deveria fazer o que não tinha feito por ela (Carol) ainda, mas a resposta do Gleen foi “se você fizer, vai ser por você mesmo, porque ela se foi”. Caso isso venha realmente a acontecer, vai ser a maior perda que The Walking Dead já teve, sem dúvida, o que eliminaria uma possível morte do Gleen. Mas é só um boato, nada comprovado e não é uma característica do Negan matar mulheres. O vilão mata apenas homens e toma as suas mulheres como suas novas esposas, mas como a mulher do rádio era uma mulher, vai saber se essas esposas do Negan não são um pouco ciumentas hein? Mas enfim, vamos em frente.

Antes de falar do clímax do episódio, vamos voltar para Alexandria onde mais duas coisas bem importantes aconteceram. Primeiro foi a reunião do Rick com algumas pessoas dentro da igreja, onde ele jogou limpo com todo mundo e mostrou que ele é um líder dizendo que a decisão não era apenas dele. Foi nessa cena que vimos um Morgan um pouco diferente, sem mi-mi-mi e mais humano, assim como o Rick era a algumas temporadas atrás, querendo resolver tudo na conversa. Tudo bem que não era a decisão mais sábia para o momento, mas vejo em Morgan o surgimento de uma redenção, principalmente naquele jogo de cenas após a “vitória” na invasão. Quando a música começou a tocar e vimos o Morgan soldando alguns ferros, lembrei na hora da imagem do Negan preso, atrás de grades, em Alexandria (a imagem que citei foi de um dos volumes dos quadrinhos). Poderia o Morgan estar melhorando a segurança da cela, já como um preparo para o que está por vir? Sendo que a “prisão” domiciliar da pequena cidade não tem nada de prisão, já dois personagens escapariam de lá, um deles foi o Jesus.

Outro acontecimento importante foi o termino do Abraham com a Rosita. Vamos ser compreensivos com ele que fez o certo em deixar a moça, já que a cabeça dele estava apenas pensando em Sasha. Fico triste por causa da Rosita, e gosto muito o Abraham, não curto essa ideia dele trocar ela pela Sasha, mas sei lá, não há muito o que dizer quanto isso, apenas que o Eugene teve seu momento para brilhar no episódio, sério que cara chato.

Agora sim, vamos falar da S.W.A.T. de Alexandria. Gente o que foi a forma com que o grupo invadiu o esconderijo dos Salvadores? Toda uma estratégia de ação, movimentos cuidadosos, cada paço sendo apoiado por alguém, melhor parte do episódio sem sobra de dúvida. Quando a cena começou e eles mataram os dois guardas da entrada pensei no ótimo plano que estava sendo executado e até quando ele daria certo. Era bem óbvio que em algum momento daria errado e um tiroteio começaria, e foi o que aconteceu. Mas eles nem se tocaram e acabaram deixando uns furos para trás. Durante a troca de tiros o Rick matou alguns Salvadores em uma escadaria, e aí está o erro, se alguns saíram lá de cima porque não poderiam ter mais escondidos? Deu no que deu. Ao fim vimos um Salvador, que por um louco momento eu achei ele muito parecido com o Martinez, que estava com um rádio – nesse momento temos mais um detalhe, ou questão, para onde o cara estava indo de moto? Avisar o Negan em seu esconderijo principal, com certeza – o qual foi informado ao grupo que Maggie e Carol foram capturadas.

Parece ironia, mas era previsto que algo assim acontecesse e isso abre um leque de opções sobre quem será o personagem que irá morrer no final dessa temporada: Carol, Gleen ou Daryl? Façam suas apostas.

 

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 4º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.