Crítica | Scream – 2×11 – Heavenly Creatures

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
Imagem: Reprodução/ Banco de Séries
Imagem: Reprodução/ Banco de Séries

Um episódio, é o que falta para a segunda temporada de Scream acabar, e infelizmente eu sinto um cheiro de cancelamento no ar, mas também sinto que mesmo assim a série continuará. Previsões a parte, o penúltimo episódio construiu um ótimo prelúdio para a season finale.

O Brandonface armou a treta que queria, e as patas chocas da Emma e Audrey caíram perfeitamente no plano do serial killer, na verdade é mais cabível chamar ele de psicopata, pois falta muito todinho para esse Brandonface ser um serial killer. Verdade seja dita, o roteiro foi uma cama de gato perfeita e assim como o episódio anterior, Heavenly Creatures continuou a qualidade do seu antecessor, não no mesmo nível, mas continuou.

Mais uma vez vou elogiar a filmagem e a montagem do episódio, o enquadramento da câmera aproveitou muito bem todos os planos – principalmente no início, quando o Ghostface invadiu a casa da Emma e tivemos sequências interessantes com uma câmera lenta aproveitado o ambiente. (Parece uma certa inspiração em James Wan, mas a escada ainda é longa para chegar nesse nível).

Vários fatores foram interessantes, um deles foi o arco do Noah, que foi bom e reconheço isso, mas volto a reclamar que esses arcos separados são meio desnecessários. Sinceramente, essa crise existencial é compreensível, mas é algo poderia ser trabalho pensando em uma terceira temporada. Foi bacana darem uma pequena atenção a isso, só para o rapaz não cair no esquecimento.

Ainda sobre os arcos separados, vimos a única utilidade daquele arco de sofrência enjoativo da Brooke pela morte do Jake – que pelo visto não está mais fazendo falta para ela -, foi para ela ver o vídeo que o hacker colocou no Necrotério e fechar a tela do notebook ficando chateada com a Audrey. Ou seja, ao invés de matar mais personagens e cumprir um papel de assassino durante a temporada, o que deveria fazer, o Ghostface passou 11 episódios arquitetando um plano mirabolante para desunir o grupo de sobreviventes e plantar a semente da desunião entre eles, fazendo um joguinho com cada personagem. Haja paciência para aguentar.

Imagem: Reprodução/ Banco de Séries
Imagem: Reprodução/ Banco de Séries

Mas calma, não achei o episódio ruim, pelo contrário, gostei de Heavenly Creatures, só que como estamos chegando ao final da temporada precisamos fazer certos balanceamentos, e se fosse me perguntar: Scream merece ser renovada ou cancelada? Eu cancelaria, a série teve bons momentos, mas a intenção de se produzir um seriado é fazer com que ele seja cada vez melhor, que tenha mais audiência, renda mais para a emissora, e o segundo ano de Scream ficou bem abaixo do primeiro em todos esses sentidos. Não basta ter dois ou três episódios durante a temporada e mais o final bom. São 12 episódios, lógico que nem todos serão realmente bons, mas eles precisam ser consistentes, iniciar, desenvolver e concluir uma história. O problema foi o desenvolvimento, que veio tarde de mais.

Voltando ao episódio, foi um boa sacada todo o clima de tensão em cima a investigação, burra, dos personagens para cima de Eli. Tenho apenas dois pontos para ressaltar sobre isso: ele é o assassino; ele não é o assassino, entendam como quiser! Para quem assistiu aos filmes do Pânico, nós sabemos que a investigação dos personagens sempre se conduz para um caminho, mas o verdadeiro assassino está mais perto do que pensávamos. Existem teorias e mais teorias sobre a identidade do Ghostface da segunda temporada, Eli, Stavo, Emma, Kieran, entre outros, nenhum personagem escapa. Algumas teorias são até interessantes, mas no final com certeza alguma estará certa.

Imagem: Reprodução/ Banco de Séries
Imagem: Reprodução/ Banco de Séries

O único ponto que eu teria melhorado é o final do episódio. Tudo estava se desenvolvendo tranquilamente (mesmo com todo aquele clima de tensão e de investigação cheia de brainstorming dos personagens), mas o final, com o climax, teve a tentativa de ser alucinante, tipo : “Nossa o pai do Brooke morreu, meu deus a policia chegou, ah não a Emma e Audrey estão com a arma do crime, jesus elas foram presas, o Kieran chegou e não conseguiu fazer nada“, parece novela mexicana correndo para finalizar os últimos capítulos. Com isso quero dizer que o climax foi pura correria, e poderia ter seguido no mesmo ritmo, sendo menos alucinante e um pouco mais explicadinho. Apesar desses pequenos problemas, o décimo primeiro episódio de Scream, nessa temporada, serviu como um ótimo prelúdio para a season finale, que promete ser alucinante do início ao fim. Só espero que tenhamos uma motivação plausível do Brandonface, justificando bem tudo o que aconteceu.

 

Nota do autor para o episódio:
Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone
, , ,

Comentários

Editor-chefe e criador da Matinê Cine&TV. Fã de Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Planeta dos Macacos, Star Trek, Star Wars, Marvel, DC Comics. Na TV The Walking Dead, Shameless, Jessica Jones, The Handmaid’s Tale, entre outras, são algumas das suas favoritas.

Você Também Pode Curtir