Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries
Imagem: Banco de Séries

Com certeza o episódio que mais me agradou em toda a temporada de Scream. Com um roteiro confuso e sem saber para onde anda, a temporada está inferior ao primeiro ano, mas Let the Right One In foi o episódio mais Scream que vi nessa temporada. A história não evoluiu muito, mas foi o tipo de episódio que eu queria ver.

Dessa vez até o Ghostface foi mais ele mesmo, aquela perseguição dele no corredor, com o vítima batendo nele e depois sendo jogada da escada é o tipo de momento que eu sinto falta em Scream, e faz tempo. Tudo bem que esse Ghostface está muito em divida porque a Lang não morreu e o Seth também não, mesmo com a cena da casa pegando fogo no final ainda dá para termos nossas dúvidas. Mas nesse ponto foi um bom avanço.

Outro que eu estava sentindo falta era o Noah, esse sim vai ser virgem para sempre. Foi o melhor episódio dele na temporada, e desculpem-me os fãs, mas não gosto muito da Audrey, e sinceramente não entendo como o foco da temporada começou nela e não continuou. Isso mostra bem a confusão do roteiro porque agora o foco está divido entre Brooke e Emma.

Essas duas poderiam estar no mesmo núcleo, já que aparentemente o Ghostface está sendo um pouco possessivo em relação a elas, pois sempre tenta atingir pessoas ao seu redor que não estão agradando. Fora que o jogo com os suspeitos está meio confuso ainda, pois alguns acontecimentos são feitos intencionalmente, mas sem propósito porque logo são desmentidos. Fato que aconteceu com a professora Lang nesse episódio, assim como o Xerife e a mãe da Emma, demonstrando que mesmo trabalhando juntos, ainda há uma treta escondida. Ainda mais quanto ao Xerife e o Kieran.

Kieran e Stavo foram dois personagens que mal apareceram no episódio, na verdade um teve seus momentos e o outro nem deus as caras. A volta de Zoe mostra que ela realmente tem motivos obscuros para ter sumido na primeira temporada, será ela ajudante do Ghostface? Poderia ser, é a pessoa que mais conhecia a Emma na época, pois eram melhores amigas no início da série e pode haver um certo tipo de rancor de uma com a outra. O bom é que a Emma está começando a surtar, ficando de saco cheio de certos acontecimentos na sua vida e é aí que ela pode se tornar uma boa protagonista (apesar de ser o meu guilty pleasure).

Mesmo com algumas melhoras, o enredo dessa temporada ainda está devendo. Já estamos no sétimo episódio e a história não anda, por isso sempre acho complicado mudarem a equipe que está na criação da série porque sempre existem promessas. Um bom exemplo é Arrow, promessas e mais promessas antes de cada temporada, e vejam o jeito que a série está agora.

Nota do autor para o episódio:

[yasr_overall_rating size=”medium”]

COMPARTILHAR
Criador da Matinê, está no 6º semestre do curso de jornalismo no Centro Universitário Ritter dos Reis - UniRitter. Aqui escrevo sobre filmes e séries a partir da minha perspectiva de mundo, sem medo de mostrar a todos o meu entendimento pessoal daquilo que assisto. O debate de pontos de vistas diferentes é livre, e sempre bem-vindo.