O mal nosso de cada dia - ronald ray pollock
Ronald Ray Pollock, autor de 'O Mal Nosso de Cada Dia' Divulgação: editora Darkside Books

A Darkside Books lançou recentemente o livro “O Mal Nosso de Cada Dia”, que virará adaptação cinematográfica “The Devil All The Time” produzida pela Netflix. Escrita por Ronald Ray Pollock, o romance é ambientado depois da Segunda Guerra em uma pequena cidade de Ohio, nos EUA. 

Adquira a edição capa dura de O Mal Nosso de Cada Dia na Amazon.com.br

A história é uma trama super violenta repleta de personagens estranhos e bem construídos que são cruéis o bastante para cometerem crimes com a casualidade de quem troca de roupa. No entanto, há muito mais por trás das manchas de sangue, da avareza e da mesquinharia, como o desespero e as limitações de uma cidade pequena, e a frustração de seus habitantes. 

“O Mal Nosso de Cada Dia” foi o primeiro livro publicado por Pollock, quando o autor já tinha 56 anos. Hoje ele se insere na linha dos grandes contadores de histórias da América, como Jonh Steinbeck, William Faulkner e Flannery O’Connor, bem como o magistral gótico Cormac MacCarty e seu visceral “Onde os Velhos Não Têm Vez”. 

Adaptação com elenco de peso na Netflix

Baseado na obra de Pollock, a Netflix lançará o filme O Mal Nosso de Cada Dia. A adaptação traz um grande elenco, com Robert Pattinson (Bom Comportamento, The Batman), Sebastian Stan (Capitão América 2: Soldado Invernal) e Tom Holland (Homem-Aranha: Longe de Casa), Bill Skarsgard (It: A Coisa), Riley Keough (The Girlfriend Experience, American Honey), Jason Clarke (Cemitério Maldito), Haley Bennet (A Garota no Trem), Mia Wasikowska (Alice no País das Maravilhas), Eliza Scanlen (Sharp Objects), Harry Malling (saga Harry Potter) e o músico Pokey LaFarge. 

Com direção do brasileiro Antonio Campos (Christine) e produção de Jake Gyllenhaal, O Mal Nosso de Cada Dia chega na Netflix no dia 16 de setembro.

Veja o trailer da adaptação:

Leia a sinopse de O Mal Nosso de Cada Dia

Em uma cidade esquecida no interior de Ohio, a esposa de Willard Russell está à beira da morte, não importa o quanto ele beba, reze ou faça sacrifícios e oferendas. Com o passar dos anos, seu filho Arvin, uma criança negligenciada, torna-se um homem frio e cruel. Em torno deles, circula um nefasto e peculiar grupo de moradores — um insano casal de assassinos em série, um pastor que come aranhas e um xerife corrupto — , todos entrelaçados numa viciante narrativa da mais corajosa e sombria lavra americana.

COMPARTILHAR
Jornalista e produtor de conteúdo da Matinê, escreve sobre séries, livros e filmes. Tem um relacionamento sério com histórias que cativam e encantam. Além disso, sonha viver em uma fantasia, ficção científica ou em um romance de espionagem.